19 de junho de 2015
por esmael
23 Comentários

Beto Richa agora tenta desmoralizar os professores universitários do Paraná

O governador do Paraná, Beto Richa (PSDB), entrou numa cruzada perigosa para desvalorizar a educação. Números distorcidos divulgados pela Secretaria de Educação (SEED) tentam mostrar que em mais de cem municípios há professores recebendo salários superiores aos dos prefeitos.

Além de mentirosa, a iniciativa denota a visão de que os educadores não merecem, na visão deste governo, receber salários justos. Décadas de dedicação ao ensino, cursos de especialização, mestrado, doutorado e pós-doutorado são lixo na visão de um governador que trata os educadores na base de bombas e tiros, como todos presenciaram no massacre em 29 de abril.

Pois bem, a mesma tática está sendo aplicada contra os professores universitários.

Como as universidades continuam em greve, o jogo sujo agora visa desmoralizar os professores das universidades estaduais. A ideia é a mesma: fazer a população acreditar que esses profissionais já ganham muito, e que suas reivindicações são descabidas.

Mas as universidades estaduais são os motores do desenvolvimento do Estado. São elas que geram e compartilham o conhecimento que proporciona o desenvolvimento da sociedade. O sucateamento das universidades só interessa a quem prefere o atraso e a submissão.

Sem desvalorizar um vereador, prefeito ou deputado – que foram eleitos com o voto do povo – seus salários não podem ser comparados aos de pesquisadores, mestres, doutores, que dedicam a vida à ciência, como se não fossem merecidos.

Muitos desses professores seriam bem-vindos na iniciativa privada, mas o prejuízo seria incalculável para a sociedade paranaense.

24 de fevereiro de 2014
por esmael
13 Comentários

Universidades ameaçam fechar as portas por causa de cortes de 40% promovidos pelo governo Richa

da Rede Sul Notícias
Os cortes de 40% no orçamento de custeio das universidades estaduais paranaenses pauta encontro entre o reitor da Unicentro (Universidade Estadual do Centro Oeste), Aldo Bona e outros reitores na Secretaria de Estado da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Seti). A reunião começou à s 14 horas desta segunda feira (24), em Curitiba.

Vamos pedir que esse corte seja revertido porque inviabiliza o funcionamento das universidades. Se a situação não for revertida vamos fechar as portas!, disse o reitor à  Rede Sul de Notícias.

O corte representa para a Unicentro o valor de R$ 4,2 milhões a menos no orçamento de R$ 10,59 milhões, restando, portanto, R$ 6,3 milhões para as despesas que incluem o pagamento de estagiários e terceirizados, bolsa auxílio a estudantes, água, luz, telefone, internet, materiais de consumo e de expediente, entre outras despesas.

Se dessa reunião com o secretário João Carlos Gomes [Seti] não sair uma posição, vamos pedir audiência com a Secretaria da Fazenda e em seguida com o governador Beto Richa, e vamos dizer que, se não houver a reversão desses cortes as universidades não têm condições de continuar com as portas abertas. Não há outra alternativa!.

MEDICINA

Essa situação, porém, não afeta a implantaç