4 de novembro de 2013
por Esmael Morais
10 Comentários

A serviço dos EUA: Folha diz que Brasil espionou diplomatas estrangeiros

do Brasil 247

No momento em que os Estados Unidos estão sob a ataque no mundo inteiro, por terem colocado em prática um dos mais amplos programas de espionagem de todos os tempos, que chegou até a grampear celulares de líderes globais, e que Brasil e Alemanha apresentam resolução conjunta à  ONU em defesa da privacidade, a Folha acusa o governo Lula de usar a Abin para espionar diplomatas; reportagem cai como luva para o discurso oficial dos Estados Unidos, na linha de que "eu faço, mas todo mundo faz"; estranho, muito estranho.

No momento em que os Estados Unidos estão sob a ataque no mundo inteiro, por terem colocado em prática um dos mais amplos programas de espionagem de todos os tempos, que chegou até a grampear celulares de líderes globais, e que Brasil e Alemanha apresentam resolução conjunta à  ONU em defesa da privacidade, a Folha acusa o governo Lula de usar a Abin para espionar diplomatas; reportagem cai como luva para o discurso oficial dos Estados Unidos, na linha de que “eu faço, mas todo mundo faz”; estranho, muito estranho.

Os Estados Unidos, como se sabe, estão na berlinda. Programas de espionagem em larga escala, colocados em prática pela Agência de Segurança Nacional, a NSA, vigiaram cidadãos e governos de países como Brasil, México, França, Espanha e Alemanha. ... 

Leia mais

3 de novembro de 2013
por Esmael Morais
4 Comentários

Espionagem: Aliada ao Brasil, Alemanha pode dar asilo a Snowden

do Brasil 247
A revista alemã Der Spiegel foi a publicação escolhida por Edward Snowden, técnico da Agência Nacional de Segurança dos Estados Unidos, a NSA, para publicar um manifesto onde afirma algo incontestável: dizer a verdade não pode ser considerado um crime (leia mais aqui).

No entanto, mais do que simplesmente publicar o texto de Snowden, enviado à  revista de forma criptografada, a Spiegel tomou uma posição editorial: defendeu, na capa, que a chanceler alemã Angela Merkel conceda o asilo diplomático a ele. Embora já tenha obtido esse benefício da Rússia, Snowden se adaptaria melhor à  Alemanha. Além disso, sua presença no país ajudaria a desvendar os segredos da espionagem norte-americana.

Caso Merkel tome essa decisão, ela poderá fazer por Snowden algo que esteve diante também do Brasil. Em julho deste ano, quando vieram à  tona as primeiras informações sobre a espionagem americana sobre o governo Dilma, alguns senadores defenderam que o Brasil lhe desse asilo diplomático.

“A reação mais lógica e mais séria em relação a essa história da espionagem americana seria imediatamente conceder asilo ao Snowden. E nós teríamos condição de saber, nós e o mundo, com mais seriedade e transparência, o que realmente significou a espionagem. O Snowden é um herói dos Estados Unidos. Amanhã ou depois, a história vai se lembrar do Snowden, e não do Obama, que foi quem acabou sendo responsável pela espionagem na internet no mundo inteiro. à‰ uma vergonha que alguns países latino-americanos tenham oferecido, e nós fiquemos enrolando esse assunto”, disse o senador Roberto Requião (PMDB-PR).

No manifesto publicado neste fim de semana, Snowden alega ter prestado um serviço a vários países. “Em vez de causar danos, a informação que trouxe a público é útil, e isso está claro agora, porque reformas e leis estão sendo sugeridas”, escreveu ele. “Os cidadãos têm o direito de lutar contra a supressão de informações que lhe são essenciais. Aqueles que falam a verdade não estão cometendo nenhum crime.”

Até agora, já se sabe que, além do Brasil, México, Espanha, França e Alemanha também foram espionados. No caso alemão, foi mais grave, porque as interceptações atingiram o celular de Angela Merkel e o próprio secretário de Estado norte-americano, John Kerry, afirmou que a espionagem foi “longe demais”.

No entanto, isso não significa que os Estados Unidos estejam dispostos a perdoar Snowden. Neste domingo, Dan Pfeiffer, conselheiro da Casa Branca, declarou à  Associated Press que Snowden terá que retornar aos Estados Unidos para responder por crimes de traição e vazamento de informação confidencial.

Unidos por terem sido alvos da espionagem, as presidentes Dilma Rousseff e Angela Merkel apresentarão uma resolução conjunta à s Nações Unidas em defesa da privacidade dos governos e dos cidadãos.

Leia mais

26 de outubro de 2013
por Esmael Morais
3 Comentários

Espionados, Brasil e Alemanha se unem por resolução para a internet

NAà‡à•ES UNIDAS, 26 Out (Reuters) – Brasil e Alemanha estão preparando uma resolução para a Assembleia-Geral da ONU que vai exigir o fim da espionagem excessiva e da invasão de privacidade, depois que um ex-prestador de serviços da agência de inteligência dos Estados Unidas revelou grandes programas de vigilância internacionais, disseram diplomatas da ONU na sexta-feira.

A presidente Dilma Rousseff e a chanceler alemã, Angela Merkel, condenaram a espionagem generalizada feita pela Agência de Segurança Nacional (NSA) dos EUA.

Acusações de que a NSA acessou dezenas de milhares de registros telefônicos franceses e monitorou o celular de Merkel têm causado indignação na Europa. A Alemanha disse na sexta-feira que vai enviar seus chefes de inteligência para Washington na próxima semana para buscar explicações da Casa Branca.

Em resposta à s divulgações sobre a espionagem dos EUA, muitos delas vindas do ex-técnico da NSA Edward Snowden, as delegações de Brasil e Alemanha na ONU começaram a trabalhar em um projeto de resolução para ser submetido à  Assembleia-Geral, de 193 países, afirmaram vários diplomatas da ONU à  Reuters.

“Esta resolução provavelmente terá um enorme apoio na AG (Assembleia-Geral), uma vez que ninguém gosta que a NSA os espione”, declarou um diplomata ocidental da ONU, sob condição de anonimato.

Resoluções da Assembleia-Geral não são vinculantes, ao contrário de resoluções do Conselho de Segurança, de 15 nações. Mas as resoluções da Assembleia que conseguem um amplo apoio internacional podem ganhar peso moral e político significativo.

Merkel pediu na quinta-feira que Washington faça um acordo de “não-espionagem” Leia mais

24 de outubro de 2013
por Esmael Morais
1 Comentário

Angela Merkel diz a Obama que espionagem entre aliados é inaceitável

Da Agência Brasil*A chanceler alemã, Angela Merkel, disse hoje (24), em sua chegada a Bruxelas para a reunião do Conselho Europeu, que espionagem entre amigos é algo que não se faz!, referindo-se ás escutas de que teria sido alvo por parte dos serviços secretos dos Estados Unidos.

Argumentando que a espionagem entre aliados é inaceitável e que a confiança deve ser restabelecida!, Angela Merkel informou que já teve oportunidade de dizer isso ao próprio presidente norte-americano, Barack Obama, ontem (23), em uma conversa por telefone.

O caso das escutas norte-americanas foi abordado hoje em Bruxelas por Angela Merkel e o presidente francês, François Hollande, em um encontro bilateral que antecedeu a Cúpula do Conselho da União Europeia, que vai até amanhã (25). Segundo o jornal Le Monde, foram interceptadas milhões de chamadas telefônicas na França pela Agência Nacional de Segurança (NSA) norte-americana.

O tema tornou-se o assunto dominante no início de reunião entre os chefes de Estado e de governo da União Europeia. O presidente do Conselho Europeu, Herman van Rompuy, confirmou que o tema vai ser discutido em alto nível – isto é, entre chefes de Estado e de governo, além de ministros.

Antes do começo do encontro, o presidente da Comissão Europeia, José Manuel Durão Barroso, ao ser questionado sobre o tema, enfatizou qu Leia mais

17 de outubro de 2013
por Esmael Morais
4 Comentários

E-mail oficial do governo será mais barato e seguro, diz Paulo Bernardo

via Blog do PlanaltoDurante entrevista para o programa Bom Dia, Ministro! desta quinta-feira (17), o titular das Comunicações, Paulo Bernardo, falou sobre as mudanças na circulação de informações entre órgãos do governo federal. A ideia é usar um sistema de processamento de dados do Serpro, que inclui um novo padrão de e-mails e de comunicação interna entre os ministérios e com a presidência, pois para o ministro, tudo que circula pela internet tem um nível de proteção muito pequeno.

O Expresso! está em fase de testes no Ministério das Comunicações, e nos próximos dias, a presidenta Dilma Rousseff deverá assinar um decreto definindo um cronograma para que ministérios, autarquias, fundações e demais entes do governo federal se adequem à  nova norma. Segundo Paulo Bernardo, além de segurança, o sistema trará uma diminuição de custo para o governo, que trabalha numa possibilidade de disponibilizar o Expresso! para a população, num convênio com os Correios.

As denuncias mostram que não temos privacidade nenhuma. Isso é um absurdo do ponto de vista democrático, porque uma correspondência tem que ser inviolável, e o e-mail nada mais é que uma correspondência. (!¦) No governo federal, estamos adotando essas medidas. A mensagem pode ser criptografada, codificada para dificultar vazamento. Além disso, estamos preparando um decreto para usar redes próprias do governo para fazer o tráfego de informações. Vamos, de certa forma, sair da internet para esse tipo de comunicação!, afirmou.

Bernardo falou também sobre telefonia móvel e conexões de internet para celulares no país. Ele anunciou investimentos para que, nos próximos dois anos, distritos que fiquem até 30 km de distância da s Leia mais

14 de outubro de 2013
por Esmael Morais
6 Comentários

Dilma determina implantação do e-mail Made in Brazil

da Agência Brasil

A presidenta Dilma Rousseff informou, em sua conta no Twitter, que determinou ao Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro) a implantação de um sistema de correio eletrônico que proteja as mensagens oficiais.

“Determinei ao Serpro a implantação de sistema seguro de e-mails em todo o governo federal. Esta é a primeira medida para ampliar a privacidade e a inviolabilidade de mensagens oficiais. à‰ preciso mais segurança nas mensagens para prevenir possível espionagem”, tuitou a presidenta em três mensagens no microblog.

A prioridade do governo brasileiro contra a espionagem norte-americana surgiu a partir das denúncias feitas nos últimos meses feitas pelo norte-americano Edward Snowden, ex-funcionário de uma empresa que prestava serviço para o governo dos Estados Unidos. Há denúncias de que cidadãos comuns de vários países e, inclusive, a presidenta Dilma Rousseff, seus assessores e a Petrobras tenham sido espionados.

Outro alvo de espionagem foi o Ministério de Minas e Energia. Por meio de sua conta no Twitter, a presidenta também determinou, na semana passada, ao ministro Edison Lobão uma rigorosa! avaliação e o reforço da segurança desses sistemas”.

Leia mais

7 de outubro de 2013
por Esmael Morais
1 Comentário

Dilma diz no Twitter que texto do Marco Civil da Internet será enviado à  ONU

da Agência BrasilA presidenta Dilma Rousseff disse que assim que for aprovado pelos parlamentares, o projeto do Marco Civil da Internet no Brasil será enviado como proposta á Organização das Nações Unidas (ONU). A iniciativa foi divulgada ontem (6) pela presidenta na rede social Twitter. Ela se mostrou confiante na aprovação do projeto nas próximas semanas!.

No último dia 24, Dilma participou da abertura da 68!ª Assembleia Geral das Nações Unidas, em Nova York (Estados Unidos), em que criticou a espionagem de cidadãos e autoridades, como a promovida por agências norte-americanas, e defendeu a adoção de medidas que impeçam essas ações. Para ela, é essencial a criação de uma governança global para a internet.

Nossa proposta para um marco civil internacional será enviada á ONU assim que nosso marco civil for aprovado. A votação do nosso projeto deve ocorrer nas próximas semanas. Enviei ao Congresso um novo Marco Civil da Internet, iniciativa que irá ampliar a proteção da privacidade dos brasileiros!, disse a presidenta.

Dilma reiterou sua indignação com a espionagem de dados privados de brasileiros. Denunciei o caso na ONU em defesa dos direitos humanos e de nossa soberania. Exigimos explicações e mudanças de comportamento por parte dos americanos!, lembrou no Twitter.

A presidenta também se referiu ao livro The Shadow Factory: The Ultra-Secret NSA from 9/11 to the Eavesdropping on America, do jornalista James Bamford, sobre o sistema de espionagem norte-americano. Segundo Dilma, o livro mostra os métodos de espionagem da Agência Nacional de Segurança dos Estados Unidos (cuja sigla em inglês é NSA).

O livro é de 2008. “[O livro] mostra o que vem ocorrendo há mais tempo e o que apareceu agora: espionagem a cidadãos brasileiros [inclusive eu], companhias e ministérios!, disse Dilma no Twitter. Relata a terceirização desse serviço de inteligência, com a contratação de milhares de empresas e trabalhadores!, acrescentou.

Leia mais

7 de outubro de 2013
por Esmael Morais
6 Comentários

Snowden: Canadá espionou Ministério de Minas e Energias

do Brasil 247
O Brasil também foi espionado pelo Canadá. à‰ o que apontam novos documentos vazados pelo ex-técnico da americana NSA (Agência de Segurança Nacional) Edward Snowden e revelados neste domingo pelo programa Fantástico, da Rede Globo.

Segundo os papéis, a Agência Canadense de Segurança em Comunicação (CSEC, em inglês) usou um programa de computador, chamado Olympia, que fez um mapeamento das comunicações telefônicas e de computador do ministério, incluindo e-mails. O objetivo é descobrir os contatos realizados para outros órgãos, dentro e fora do Brasil, além de empresas como a Petrobras e a Eletrobrás.

O método foi tema de uma apresentação feita durante encontro de analistas de espionagem de cinco países (EUA, Reino Unido, Canadá, Austrália e Nova Zelândia) em junho de 2012. Snowden esteve na reunião de 2012 e entregou os papéis ao jornalista americano Glenn Greenwald.

Foram rastreadas ligações com a Olade (Organização Latino-americana de Energia), com sede no Equador, e trocas de emails entre computadores do ministério e de países do Oriente Médio, da àfrica do Sul e do Canadá.

A ferramenta também identificou números de celulares, registro dos chips e até marcas e modelos dos aparelhos. Um deles foi o do ex-embaixador do Brasil no Canadá, hoje no departamento de Oriente Médio do Ministério das Relações Exteriores, embaixador Paulo Cordeiro.

Na sexta-feira (4), o ministro Edison Lobão comentou o conteúdo da reportagem. Questionado sobre como reage aos documentos, ele disse: “Eu acho que configura um fato grave que merece repúdio. Aliás a presidenta Dilma já o fez amplamente na ONU”, disse. Ele reconheceu que o Canadá tem “interesse no Brasil, sobretudo nesse setor mineral”. “Se daí vai o interesse em espionagem pra servir empresarialmente a determinados grupos, eu não posso dizer.”

Neste domingo, pela manhã, a presidente Dilma Rousseff disse, pelo Twitter, que o Congresso deve votar nas próximas semanas a proposta de Marco Civil da Internet, lei para proteger as comunicações no Brasil, que, segundo ela, “irá ampliar a proteção da privacidade dos brasileiros”.

Leia a matéria sobre o assunto, publicada no Portal Brasil:

Dilma anuncia votação de novo Marco Civil da Internet

Para presidenta, projeto vai pautar proposta do Brasil na ONU

A presidenta Dilma Rousseff anunciou neste domingo (6), em sua conta pessoal do Twitter, que enviou ao Congresso Nacional uma nova versão do Marco Civil da Internet. Segundo a presidenta, a votação deve ocorrer nas próximas semanas e irá ampliar a proteção da privacidade dos brasileiros.

A ação é uma resposta à s denúncias de espionagem dos Estados Unidos a empresas e cidadãos do País. Denunciei o caso na ONU em defesa dos direitos humanos e de nossa soberania. Exigimos explicações e mudanças de comportamento por parte dos americanos!, escreveu.

De acordo com presidenta, a proposta do Brasil para um Marco Civil Internacional será o ponto de partida para a proposta a ser encaminhada à  ONU.Durante discurso de abertura da 68!ª Assembleia-Geral das Nações Unidas, no dia 24 de setembro, Dilma defendeu a criação de uma governança global para internet.

Arthur Zanetti

A presidenta parabenizou, também pelo Twitter, o ginasta Arthur Zanetti, que conquistou a medalha de ouro na prova das argolas no Campeonato Mundial de Ginástica da Antuérpia, na Bélgica. Zanetti é o primeiro brasileiro a vencer um Mundial e uma edição dos Jogos Olímpicos nas argolas. à‰ uma façanha!!, comemorou Dilma.

Cristina Kirchner

Ainda na rede social, Dilma desejou melhoras à  presidenta da Argentina, que se recupera de um traumatismo craniano. Minha solidariedade à  Cristina Kirchner, que está de repouso médico. Cristina é amiga do Brasil e minha amiga!, completou.

Leia mais

24 de setembro de 2013
por Esmael Morais
Comentários desativados em Requião: venda de Libra é pior que espionagem

Requião: venda de Libra é pior que espionagem

do Brasil 247O senador Roberto Requião (PMDB-PR) encaminhou na sexta-feira à  Presidência da República, ao MPF e ao TCU um dossiê que aponta irregularidades na Agência Nacional do Petróleo !“ ANP, especialmente no Edital do Leilão de áreas do Campo Petrolífero de Libra. O parlamentar tenta viabilizar sua candidatura ao governo do Paraná com um discurso nacionalista.

O texto composto de sete pontos diz que a agência está sendo usada para cometer vários atentados à  soberania nacional, dominada por dirigentes e funcionários instalados pelo genro de FHC, David Zylberstein.

Segundo Requião, o dossiê denuncia que sob o reinado de FHC, a Petrobras, e sob o governo Lula, a ANP, contrataram sem licitação a empresa americana Halliburton, de Dick Cheney, ex-vice presidente dos EUA nos governos Bush, para fornecer um software especializado em gestão de dados sobre a localização dos campos de petróleo do Brasil, fato que teria permitido enormes vantagens estratégicas a essa empresa.

Para o parlamentar, isso transforma esses leilões em mera fachada pois permite a alguns licitantes saber antes dos outros onde está o petróleo que a Petrobras gastou bilhões para encontrar.

Diz ainda que a desistência da BP e da Exxon! no leilão de Lira é apenas para inglês ver!, já que ambas continuam participando através de subsidiárias. O texto diz que as companhias teriam desistido apenas para forçar o governo do Brasil a fazer novas modificações nos próximos editais, de modo a facilitar mais ainda as coisas.

Leia mais

19 de setembro de 2013
por Esmael Morais
6 Comentários

“Os EUA invadiram o Brasil”, diz Julian Assange sobre escândalo de espionagem

do Opera MundiO fundador do Wikileaks, Julian Assange, afirmou nesta quarta-feira (19/09) que as manobras de espionagem desenvolvidas pela NSA (sigla em inglês para Agência de Segurança Nacional) mostram que os “EUA invadiram o território brasileiro”.

“O que significa quando uma lei (Patriot Act) sai de um território e vai para outro território? Isso quer dizer que se está agindo com uma legislação nacional em território estrangeiro”, disse o australiano por videoconferência durante evento em São Paulo.

Além disso, Assange acredita que as comunicações da América Latina podem ser interceptadas a qualquer momento por Washington através do sistema de vigilância massiva. Reitera também que, com as ações norte-americanas, há “um colapso no estado de direito e uma violação clara aos direitos humanos” – neste caso, em referência à s intervenções no Oriente Médio.

Sem ter recebido explicações satisfatórias do governo norte-americano sobre o esquema de espionagem, Dilma Rousseff decidiu adiar a visita oficial aos Estados Unidos que estava programada para o dia 23 de outubro. O anúncio foi feito através de um comunicado na tarde desta terça-feira (17/09) pelo Palácio do Planalto.

Dilma conversou pessoalmente por telefone na segunda-feira (16) com o presidente dos EUA, Barack Obama, que tentou evitar o adiamento e justificar o escândalo de vigilância organizado pela NSA. O órgão interceptou em 2012 conversas da presidente e de seus assessores, além de informações referentes à  Petrobras e ao pré-sal. O então candidato à  Presidência do México, Enrique Peà±a Nieto, vencedor da eleição, também foi investigado.

Leia mais

15 de setembro de 2013
por Esmael Morais
2 Comentários

Contra Orelhobama, fundador do Wikileaks sugere criptografia verde-amarela a Dilma

do Brasil 247
Refugiado na embaixada do Equador em Londres, o australiano Julian Assange, fundador do Wikileaks, recebeu o jornalista Nelson de Sá, da Folha, para falar sobre seu novo livro, que trata de ativismo digital e o futuro da internet (confira aqui a íntegra da entrevista).

No encontro, ele tratou da espionagem americana ao Brasil. “A estatística de um dos programas da NSA (Agência de Segurança Nacional) mostra que os EUA interceptam mais sobre o Brasil do que sobre qualquer outro país latino-americano, pelo tamanho econômico, número de empresas americanas, contratos de equipamento, petróleo”, disse ele.

Qual a solução? A criptografia, mas, de preferência, com tecnologia própria. “Sim, eles (o governo brasileiro) precisam abraçar criptografia. O problema de comprar equipamento de criptografia para a Petrobras ou a presidente é: você pode confiar no fornecedor? Os EUA são especializados em se infiltrar no chip dos equipamentos criptográficos. O que o país precisa é conseguir o talento brasileiro para suas próprias agências de criptografia, para que desenvolvam tecnologia que seja confiável”, afirmou.

O fundador do Wikileaks, no entanto, se disse decepcionado com a decisão do governo brasileiro de negar asilo a Edward Snowden, que revelou o escândalo de espionagem. “à‰ muito decepcionante. Mostra a realidade das relações Brasil-EUA, infelizmente. Se você ler os telegramas diplomáticos do WikiLeaks sobre o Brasil, verá que sob Lula o Ministério das Relações Exteriores era bastante independente. à‰ um sinal preocupante sobre a independência brasileira. O Brasil, no que Leia mais

5 de abril de 2012
por Esmael Morais
4 Comentários

Veja o vídeo: Nem os emails do tucano Francischini escaparam dos espiões de Cachoeira

do G1

Investigação da Polícia Federal descobriu indícios de que a quadrilha do bicheiro Carlinhos Cachoeira interceptou emails do deputado federal Fernando Francischini (PSDB-PR). Cachoeira foi preso pela PF em fevereiro, durante a Operação Monte Carlo, acusado de chefiar um esquema de jogo ilegal em Goiás.

Preso na mesma operação, Idalberto Matias de Araújo, o Dadá, é suspeito de trabalhar como um “espião” para a quadrilha a fim de conseguir informações sigilosas. Reportagem da edição desta quinta (5) do jornal Folha de S.Paulo! informa que ele coordenou, segundo a PF, a montagem de um esquema de interceptação ilegal de emails.

De acordo com a Polícia Federal, Dadá tinha a missão de descobrir, por exemplo, o dia de uma operação para fechar casas de jogos ilegais. Mas, ao grampear Dadá, a polícia descobriu que ele também pode ter contratado um ex-policial para monitorar ilegalmente o email do deputado federal do PSDB. Leia mais