Racismo e agressões a frentistas são temas de audiência pública na Câmara de Curitiba

A Câmara Municipal de Curitiba realiza nesta quarta-feira (29/11), às 15h, uma audiência pública para discutir os casos de agressões físicas e verbais sofridas por trabalhadores nos postos de combustíveis.

O evento, proposto pelos vereadores Angelo Vanhoni (PT) e Rodrigo Reis (UB), será realizado no auditório da Câmara, no centro da cidade.

Os casos de agressão viralizaram nas redes sociais e chamaram a atenção da opinião pública.

As imagens mostraram uma agressão verbal, com palavras de baixo calão, e um tapa no rosto da frentista Guadalupe Monithle Bahls, ocorrida no dia 29 de outubro, no Posto Tio Ari, no bairro do Guaraituba, em Colombo, região metropolitana de Curitiba.

>>Mulher frentista sofre agressão em posto de combustível de Colombo [vídeo]

Economia

No outro caso, Juan Pablo, um jovem de 18 anos e primeiro emprego, foi a vítima de agressão ocorrida, na madrugada do dia 14 de outubro, num posto de gasolina no bairro do Boqueirão, região Sul de Curitiba.

Juan sofreu ataques verbais, injúria racial e xenofobia, foi chamado de “macaco”, “nordestino morto de fome”, além de ameaças físicas de um suposto empresário.

As agressões a frentistas são um problema recorrente no Brasil.

Segundo o Sindicato dos Frentistas de Curitiba e Região Metropolitana (Sinpospetro), só em 2023, foram registrados 12 casos de agressões a trabalhadores em postos de combustíveis na capital paranaense.

O sindicato afirma que as agressões são motivadas, principalmente, por racismo, xenofobia e assédio moral.

>>Sindicato dos Frentistas ingressa como Amicus Curiae em caso de racismo em Curitiba

Os frentistas são, muitas vezes, alvo de insultos, ameaças e até mesmo violência física.

A audiência pública desta quarta-feira é uma oportunidade para discutir o problema das agressões a frentistas e buscar soluções para o problema.

De acordo com o presidente do Sinpospetro, Lairson Sena, “é preciso pôr um fim às agressões nos locais de trabalho. A categoria frentista merece respeito. A entidade já tomou todas as medidas jurídicas para proteger a integridade física e psicológica desses trabalhadores. O departamento jurídico do sindicato acompanha, com prioridade, os casos de Guadalupe e Juan Pablo”, declarou o dirigente sindical.

>>Cliente filmado xingando frentista de ‘macaco’ e ‘nordestino dos infernos’ se apresenta à polícia em Curitiba

O evento contará com a participação de representantes do Sinpospetro, da Câmara Municipal de Curitiba, da Polícia Civil, do Ministério Público e de outras entidades.

Dentre os temas que devem ser discutidos na audiência pública estão:

  • A necessidade de uma política pública de proteção aos frentistas;
  • A importância da educação e da conscientização da população sobre o respeito aos trabalhadores;
  • A necessidade de punição rigorosa aos agressores.

A expectativa é que a audiência pública resulte em propostas concretas para combater as agressões a frentistas e garantir a segurança e o respeito desses trabalhadores.

>>Frentistas marcham até à Câmara Municipal de Curitiba em busca de proteção contra agressões raciais e assédio

Serviço:
Audiência Pública sobre as agressões aos frentistas
Data: 29 de novembro, quarta-feira às 15h
Local: Auditório da Câmara Municipal de Curitiba (Rua Barão do Rio Branco, 720, Centro)
Entrada: Auditório portaria da Visconde de Guarapuava