Milei começou a afrouxar a tanga para Brasil e China, enquanto viaja para os EUA

O presidente eleito Javier Milei embarca neste domingo (26/11) em um avião para viajar, primeiro, para Nova York e depois para Washington.

Milei se encontrará com Juan González, Conselheiro de Segurança Nacional dos Estados Unidos para a América Latina.

O mandatário argentino não terá um encontro com o presidente americano Joe Biden.

>>A encruzilhada de Milei: entre a ‘terapia de choque’ da extrema direita e o macrismo da casta neoliberal

Mesmo voando para os EUA, Milei começou a distensionar com os países do BRICs – especialmente Brasil e China.

Economia

A futura chanceler argentina, Diana Mondino, por exemplo, trouxe hoje convite formal para que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) participasse do pelotão de Javier Milei.

Milei disse em uma carta que deseja seu tempo em comum com Lula como presidentes “seja frutífero e de construção de laços”, ao convidar o colega brasileiro para sua posse no dia 10 de dezembro.

>>Trump e Bolsonaro saudaram Javier Milei, “El Loco”, uma incógnita para a direita

Na semana que passou, o presidente eleito argentino também divulgou uma carta que recebeu de seu homólogo chinês, Xi Jinping, felicitando-o pela vitória no segundo turno.

“Envio a ele [Xi Jinping] meus mais sinceros votos de bem-estar para o povo chinês”, afrouxou Milei na plataforma X, o antigo Twitter.

One Reply to “Milei começou a afrouxar a tanga para Brasil e China, enquanto viaja para os EUA”

  1. Depois da lambança que vez ao convidar Bolsonaro que não exerce nenhuma função política no Brasil, à não ser viver do erário publico bancado pelo PL, e dizer que o Presidente do Brasil é “corrupto” e “comunista”, agora vem querer pedir para o nosso Presidente fazer parte da cambada que ele está levando para os EUA. Porque ele não convida o Bozo, já que vão só falar com um Conselheiro e não com o Presidente Americano. Aliás aproveita para levar o Bozo, assim, ele indica a pizzaria em que comeu na rua. Já que este tipo do gente os americanos querem é distância.

Comments are closed.