Curitiba consideraria triplicar custos de estacionamento para SUVs, seguindo exemplo de Paris?

Paris, conhecida por suas elegantes avenidas e intensa vida urbana, surpreendeu o mundo ao aprovar, em referendo, a triplicação dos custos de estacionamento para SUVs. A medida visa combater a poluição atmosférica e o colapso climático, mirando os condutores de carros grandes e poluentes. A prefeita socialista de Paris, Anne Hidalgo, destacou a clareza da escolha parisiense, afirmando que outras cidades seguirão o exemplo.

A votação ocorreu neste domingo (4/2), com 54,6% dos votantes a favor da medida.

jQuery(document).ready(function() { $(window).scroll(function () { var set = $(document).scrollTop()+"px"; jQuery('#float-banner').animate({ top:set }, { duration:1000, queue:false }); }); });

As novas tarifas, previstas para entrar em vigor em setembro, imporão custos elevados, cobrando o estacionamento de SUVs para 18 euros (R$ 96) por hora no centro e 12 euros (R$ 64) nas demais áreas da cidade. A mudança afetará veículos com peso superior a 1,6 toneladas, incluindo combustão, híbridos e elétricos acima de 2 toneladas, excluindo estacionamento de residentes.

O resultado do referendo foi celebrado por defensores da qualidade do ar, como Tony Renucci, do grupo Respire, que enxergam a medida como uma vitória para a qualidade de vida dos parisienses. No entanto, o grupo ‘40 milhões de automóveis‘ argumenta pela liberdade de escolha dos condutores, alertando contra medidas consideradas injustificadas por uma minoria antiautomóvel.

A possível replicação desse modelo em Curitiba, conhecida por adotar ideias europeias e americanas, levanta questões sobre a adequação dessa abordagem à realidade local. A capital paranaense poderia seguir os passos de Paris em busca de soluções ambientais radicais, desafiando a tradição automobilística?

Economia

As eleições municipais de 2024 serão o palco ideal para esse debate sobre modais de transporte, mobilidade urbana, ciclomobilidade, tarifa zero, metrô, dentre outras medidas necessárias para Curitiba adentrar definitivamente no século XXI.