CPI quer investigar subsídios de R$ 624 milhões para o transporte de Curitiba durante a pandemia

► Vereadores bolsonaristas querem saber destino de R$ 224 milhões de ajuda do governo federal na pandemia

A Câmara Municipal de Curitiba quer instalar uma CPI para investigar a transparência na utilização do subsídio no transporte público e dos repasses emergenciais do Governo Federal para Curitiba ao sistema de transporte pelo município de Curitiba.

A intenção de investigar subsídios de R$ 624 milhões para o transporte de Curitiba ocorre em um momento que as ruas começam a fervilhar contra novo aumento na tarifa, que saltou de R$ 4,50 para R$ 5,50 – apesar da crise e do ajuda governamental.

Nesta quinta-feira (03/03), por exemplo, estudantes prometem marchar pelas ruas centrais da capital paranaense contra o tarifaço do prefeito Rafael Greca (DEM).

A CPI precisa de 13 assinaturas para ser criada, no entanto, os seguintes vereadores foram convidados para subscreverem o documento:

  1. Flavia Francischini
  2. Alexandre Leprevost
  3. Amália Tortato
  4. Beto Moraes
  5. Carol Dartora
  6. Dalton Borba
  7. Denian Couto
  8. Eder Borges
  9. Ezequias Barros
  10. Herivelto Oliveira
  11. Hernani
  12. Indiara Barbosa
  13. João da 5 Irmãos
  14. Jornalista Márcio Barros
  15. Leonidas Dias
  16. Marcelo Fachinello
  17. Marcos Vieira
  18. Maria Leticia
  19. Mauro Bobato
  20. Mauro Ignácio
  21. Noemia Rocha
  22. Nori Seto
  23. Oscalino do Povo
  24. Osias Moraes
  25. Pastor Marciano Alves
  26. Pier Petruzziello
  27. Professora Josete
  28. Professor Euler
  29. Renato Freitas
  30. Sabino Picolo
  31. Salles do Fazendinha
  32. Sargento Tania Guerreiro
  33. Serginho do Posto
  34. Sidnei Toaldo
  35. Tico Kuzma
  36. Tito Zeglin
  37. Toninho da Farmácia
  38. Zezinho Sabará

Na justificativa da CPI, os vereadores afirma que o município de Curitiba transferiu para os empresários de ônibus de Curitiba entre 2019 a 2021, mais de 400 milhões de dinheiro público de subsídio sendo que nenhum setor recebeu nem perto destes valores.

Os parlamentares argumentam ainda que o governo federal, somente em 2020, repassou mais de 224 milhões de socorro emergencial devido à queda de arrecadação na pandemia e outras centenas de milhões em 2021.

O Blog do Esmael apurou que, até agora, ao menos dez vereadores já assinaram o requerimento de abertura da CPI [confira os nomes]:

  1. Flavia Francischini
  2. Professor Euler
  3. Dalton Borba
  4. Denian
  5. Maria Letícia
  6. Professora Josete
  7. Carol Dartora
  8. Renato Freitas
  9. Noêmia Rocha
  10. Marcos Vieira

Os vereadores citam o secretário municipal de Finanças, Cristiano Holtz, que afirmou na Câmara,
semana passada, que Curitiba obteve um superavit primário em 2021- diferença entre as
receitas e as despesas, sem considerar juros e encargos da dívida – de R$ 568,3
milhões.

Os proponentes da CPI do Subsídio estranham que agora, além de todos os subsídios e socorros emergenciais mencionados, a Prefeitura de Curitiba impôs aumento em 22% no valor da tarifa do transporte público se tornando o mais caro entre as capitais do Brasil.

– O transporte público que outrora foi festejado como o melhor do Brasil e exportado para diversas partes do mundo chega hoje ao fundo do poço, terminais e ônibus lotados em horários de pico, problemas técnicos sérios, diversos ônibus operando sem a manutenção necessária mas sempre garantindo lucro para as empresas que operam o sistema – diz a justificativa do pedido de CPI.

Segundo os vereadores, a abertura de Comissão Parlamentar de Inquérito tem o objetivo de investigar os critérios que definem a tarifa técnica utilizada pelo sistema de
transporte municipal e a efetiva destinação dos valores transferidos pelo Município
ao Sistema de Transporte.