Bolsonaro no destaque e fila de caminhões em protesto

Caminhoneiros anunciam greve para esta quarta contra o preço do diesel

Google News

► Transportadores declaram guerra a Bolsonaro por causa do preço do diesel

Caminhoneiros capixabas juram que irão deflagrar greve nesta quarta-feira (11/05) contra o aumento no preço do diesel e eles declaram guerra contra o governo Bolsonaro.

O Sindicato dos Transportadores Rodoviários Autônomos de Bens do Espírito Santo (Sindicam/ES) pretende puxar um movimento nacional contra os aumentos abusivos dos combustíveis.

A partir desta terça (10/05), a Petrobras aumentou o preço do diesel, que é vendido nos postos de combustíveis pelo preço médio de R$ 6,80 o litro.

Só em março passado, o diesel subiu 24,9% – um aumento que impactou nos preços dos alimentos e dos transportes.

Lula lidera até em pesquisa contratada por caminhoneiros da CNT
O diesel já acumula no ano alta de 47% nas refinarias da Petrobras, no entanto, especuladores afirmam que os combustíveis ainda estão com os preços defasados em até 40%.

Esses aumentos nos preços dos combustíveis são definidos pela Petrobras por meio da política de paridade de preço internacional.

O governo federal é o acionista majoritário na estatal de petróleo, por isso a bronca dos caminhoneiros com Bolsonaro.

Pela lei, Jair Messias Bolsonaro poderia revogar a lei que privilegia acionistas enquanto ferra os consumidores brasileiros.

Sabão, Bolsonaro finge que nada tem a ver com os aumentos dos combustíveis.

Ele culpa o conflito na Ucrânia, embora o Brasil seja autossuficiente em petróleo e não faça parte da guerra.

Para diminuir o estrago na popularidade, Bolsonaro determinou que os aumentos dos combustíveis sejam separados: primeiro a gasolina, depois o diesel e o gás de cozinha. Antes, esses reajustes eram juntos.

Veja também  É a economia, estúpido!