Após insultar manifestantes com uma dedada, Queiroga recebe diagnóstico de Covid em Nova York

Após insultar manifestantes com uma dedada, Queiroga recebe diagnóstico de Covid em Nova York

Aqui se faz, aqui se paga. O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, recebeu diagnóstico de Covid-19 nesta terça-feira (21/09) durante viagem a Nova York para acompanhar Jair Bolsonaro na Assembleia-Geral da ONU. Ele foi diagnosticado após insultar manifestantes, em frente ao hotel que a comitiva estava hospedada, fazendo um gesto obsceno com o dedo.

Queiroga foi o segundo membro da comitiva presidencial a diagnosticar positivo durante a estada em Nova York, onde Bolsonaro apavora por seu negacionismo. O mandatário não foi aceito em nenhum restaurante da cidade americana porque não tinha comprovante de vacinação. Ele e seu séquito tiveram de comer pizza em pé no meio da rua porque foram proibido de fazer a refeição numa mesa em ambiente fechado. Um horror.

Queiroga ficou nos Estados Unidos em quarentena enquanto a comitiva de Bolsonaro voltou para o Brasil na noite de ontem (21/09) mesmo.

O ministro da Saúde foi o segundo caso de covid na comitiva presidencial brasileira. Antes de ser diagnosticado, Queiroga minimizou dizendo que “estamos em pandemia, e contaminações podem acontecer”.

Na noite de segunda-feira (20/09), o ministro Marcelo Queiroga causou revolta em congressistas brasileiros ao fazer gesto obsceno com o dedo para manifestantes que gritavam palavras de ordem contra Bolsonaro. O presidente era chamado de “genocida” e “assassino” e eles gritavam “Fora Bolsonaro”.

Depois da dedada, do insulto a manifestantes, Queiroga foi diagnosticado de Covid.

Moral da história: aqui se faz, aqui se paga.

Leia também

Ciro Gomes: ‘o problema da pandemia é o guarda da esquina’

Lewandowski autoriza vacinação de jovens e adolescentes por estados, municípios e Distrito Federal

Deu no New York Times: Não vacinado e desafiador, Bolsonaro recua contra as críticas no discurso da ONU

Veja o vídeo da dedada de Queiroga