Oposição insiste na cassação de Flávio Bolsonaro

Compartilhe agora

O k-suco promete ferver para o senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) na semana que vem. A oposição no Congresso Nacional –Câmara e Senado– insiste na cassação do filho do presidente da República.

Congressistas do PT, PSOL e REDE ingressaram com representação junto ao Conselho de Ética do Senado reforçando o pedido de cassação do senador Flávio Bolsonaro. A decisão das agremiações tem por base as novas informações sobre um relatório feito pela Abin para defender o parlamentar no processo das “rachadinhas”.

Na iniciativa, que reforça o pedido de cassação, os partidos de oposição reafirmam as denúncias anteriores e agregam novos fatos relatados pela imprensa nesta semana.

Os partidos advertem para a necessidade do Senado Federal realizar a análise do mérito do caso.

“É preciso reforçar que os novos fatos confirmam que o senador vem utilizando de ilegalidades, durante o exercício do seu mandato parlamentar, com o objetivo de utilizar os órgãos de Estado brasileiros em seu próprio favor, desrespeitando a Constituição e o ordenamento jurídico pátrio”, diz o texto da representação.

Para os partidos oposicionistas, está cada vez mais evidente as ações no atual momento em que a família Bolsonaro visa intervir para obstruir o trabalho dos órgãos de Estado.

“Uma vez mais está caracterizando o ilícito no exercício do mandato, o rompimento à ordem jurídica e legal, a quebra do decoro, o ato incompatível com o cargo o qual exerce, e praticado enquanto senador, nesta qualidade e na vigência do mandato”, afirmam os signatários da representação.

A representação inicial, posteriormente aditada, foi apresentada pelas legendas em 19 de fevereiro, elencando uma série de desvios de conduta praticados pelo senador Flávio Bolsonaro. Os partidos pediram a cassação de Flávio por evidente quebra do decoro.

“O parlamentar teria sido avisado da existência da operação entre o primeiro e segundo turnos das eleições, por um delegado da Polícia Federal simpatizante de Bolsonaro, então candidato à Presidência da República”, reforçam.

Os partidos de oposição não descartam pedir o afastamento de Flávio Bolsonaro no Supremo Tribunal Federal (STF). A corte entra em recesso forense na próxima sexta-feira (18). A partir dessa data, o presidente Luiz Fux é o juiz de plantão –segundo o regimento interno– até fevereiro de 2021.

Caso Queiroz: PT pede impeachment de Bolsonaro e prisão de Flávio Bolsonaro

Parlamentares acionam PGR para investigar ajuda de Abin a Flávio Bolsonaro