Parlamentares acionam PGR para investigar ajuda de Abin a Flávio Bolsonaro

Parlamentares e partidos acionaram, nesta sexta-feira (11/12), a Procuradoria-Geral da República (PGR), solicitando a investigação da participação do ministro Augusto Heleno, do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência, e de Alexandre Ramagem, chefe da Agência Brasileira de Inteligência (Abin), na suposta elaboração de relatórios entregues à defesa do senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) no caso das “rachadinhas”.

A Abin teria produzido pelo menos dois relatórios de orientação para o filho mais velho do presidente Jair Bolsonaro, e seus advogados, sobre o que deveria ser feito para obter os documentos que permitissem embasar a anulação do caso. Os documentos foram revelados nesta sexta-feira (11/12) pela revista Época.

LEIA TAMBÉM
Mário Frias é internado em hospital de Brasília após princípio de infarto

7º caso contra Lula é arquivado pela Justiça; confira lista

Adeus, Lênin?!

O deputado federal Marcelo Freixo (PSol) pediu investigação de possível caso de improbidade administrativa. O partido Novo e os líderes do PT, na Câmara e no Senado, anunciaram que também acionarão o órgão, ainda na tarde desta sexta-feira.

“É muito grave imaginar que um órgão público como a Abin serviu a um interesse privado. Isso já seria um desvio de função. Mas é mais do que isso, quando a Abin organiza uma estratégia para fazer com que um réu possa escapar de uma investigação, o órgão púbico está provocando uma obstrução de Justiça”, afirmou Freixo. “O filho do presidente não é melhor, maior ou mais importante que outro cidadão”, acrescentou.

Parlamento

O líder do Cidadania na Câmara, Arnaldo Jardim (SP), solicitará a convocação do ministro Augusto Heleno para explicar ajuda da Abin a Flávio Bolsonaro. “É uma revelação gravíssima, que nos leva a requerer a presença do ministro Heleno para que preste os devidos esclarecimentos. O Congresso Nacional precisa pôr um freio na empreitada palaciana que usa a estrutura pública para defesa de um acusado, só porque este é filho do presidente da República. Parece-nos uma inversão total de valores daquilo que é atribuição da Abin”, declarou.

O senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) apresentou requerimento para convocar Heleno e disse que irá requerer à Comissão Mista de Inteligência do Congresso Nacional a instauração de investigação sobre o “uso indevido da Abin em favor de ações criminosas por parte de parentes do presidente da República”.

O PSol fará um aditamento à denúncia de Freixo no Conselho de Ética do Senado contra Flávio Bolsonaro. Deputados do Novo também vão apresentar requerimento de informações aos órgãos envolvidos no caso.

As informações são do site Metrópoles, parceiro do Blog do Esmael