Em nota, PT afirma que “Bolsonaro tem sim de explicar suas ligações e de sua família com o mundo do crime”

Compartilhe agora

A presidenta nacional do PT, deputada Gleisi Hoffmann (PR), por meio de nota, afirmou neste domingo (16) que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) “tem sim de explicar suas ligações e de sua família com o mundo do crime”.

A dirigente petista destaca na nota que Bolsonaro é “viciado em mentir” e ela relaciona os seguintes casos sobre os quais ele já mentiu nos últimos meses:

  • Leonardo DiCaprio
  • Greenpeace
  • Miriam Leitão
  • Emmanuel Macron
  • ex-presidente do INPE
  • ex-presidente do IBGE
  • ex-presidente do BNDES
  • membros do PSL
  • membros do PT

Segundo Gleisi Hoffmann, Bolsonaro volta a mentir e fazer acusações falsas ao PT e ao governador da Bahia, Rui Costa, para desviar a atenção sobre a morte do miliciano Adriano da Nóbrega, testemunha das ligações da família Bolsonaro com o mundo do crime, das milícias e dos desvios de dinheiro no gabinete do filho Flávio Bolsonaro.

“Bolsonaro tem sim de explicar suas ligações e de sua família com o mundo do crime, antes de lançar mentiras e insultos contra o PT”, cobra a presidenta petista num dos trechos da nota.

LEIA TAMBÉM
Bolsonaro bate duro em Rui Costa para ‘blindar’ os crimes da milícia

Presidente Bolsonaro jura que Adriano era herói quando foi homenageado por Flávio Bolsonaro

Rui Costa, governador da Bahia, não controla sua PM?

Leia a íntegra da nota do PT:

Nota do PT: Bolsonaro se esconde por trás de mentiras

Jair Bolsonaro é viciado em mentir. Diante de denúncias, suspeitas e problemas reais, sua reação é fazer acusações sem provas. Fez isso com Leonardo DiCaprio, com o Greenpeace, com a Miriam Leitão, com o presidente francês Macron, com ex-presidentes do INPE, do IBGE, do BNDES, já mentiu até sobre seus ministros e parceiros do PSL. Mas seu alvo principal sempre foi o PT, e contra nós e nossos dirigentes montou uma fábrica de mentiras nas eleições de 2018.

Bolsonaro volta a mentir e fazer acusações falsas ao PT e ao governador Rui Costa, para desviar a atenção sobre a morte do miliciano Adriano, testemunha das ligações da família Bolsonaro com o mundo do crime, das milícias e dos desvios de dinheiro no gabinete do filho Flávio. Ultrapassa os limites do cinismo ao exigir esclarecimentos sobre essa morte e as de Marielle e Anderson, sobre as quais quem deve saber muito são pessoas próximas a ele, e volta a fazer insinuações covardes sobre a morte do prefeito Celso Daniel, 18 anos atrás.

Bolsonaro tem sim de explicar suas ligações e de sua família com o mundo do crime, antes de lançar mentiras e insultos contra o PT. Nossos dirigentes enfrentaram e responderam na Justiça todas as denúncias, mesmo as mais falsas, em processos marcados pela parcialidade, como está evidente no caso do ex-presidente Lula. Não fugiram de suas responsabilidades, não se esconderam, não mentiram. E a cada dia que passa a verdade vai ficando mais clara sobre esses processos de mentiras e perseguição. Não há nenhum Queiróz no PT, nenhum Adriano. Nenhum foragido, protegido pela PF, pelo Ministério da Justiça ou pela Presidência da República.

Bolsonaro precisa parar de se esconder por trás de mentiras, como o covarde que é. O Brasil precisa de coragem para enfrentar e superar a dura realidade que se abate sobre nosso país e nosso povo: fome, desemprego, destruição do estado e das políticas públicas que protegiam os mais pobres. O Brasil precisa da verdade.

Gleisi Hoffmann
Presidenta Nacional do Partido dos Trabalhadores