Desemprego voltou a subir em 2020, diz IBGE

Compartilhe agora

Em 2016, vésperas do golpe, diziam que era só tirar Dilma Rousseff para gerar empregos, derrubar o preço do dólar e dos combustíveis; era tudo mentira, como se vê.
O desemprego voltou a assombrar os trabalhadores brasileiros com o aumento de desocupados em janeiro de 2020, segundo divulgou nesta sexta (28) o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

A taxa de desemprego no Brasil ficou em 11,2% no trimestre encerrado em janeiro, atingindo 11,9 milhões de pessoas, de acordo com a Pesquisa Nacional Por Amostra de Domicílios Contínua Mensal (PNAD Contínua).

Na comparação com o trimestre encerrado em dezembro, quando a taxa foi de 11%, houve alta de 0,2 ponto percentual.

LEIA TAMBÉM
Ciro Gomes diz a Bolsonaro: “Eu vou te atacar, presidente canalha!”; assista

Bolsonaro faz hora extra no Palácio do Planalto; impeachment já era esperado no ano passado

Reinaldo Azevedo: “Bolsonaro usa coronavírus como desculpa esfarrapada”

A pesquisa do IBGE/PNAD revela ainda que 1,9 milhão de pessoas entraram na estatística de desocupados em apenas um ano.

A informalidade atingiu 40,7% da população ocupada, o que representa 38,3 milhões de trabalhadores informais. Há 1 ano atrás, no entanto, a taxa era menor, de 40,6%.

O levantamento que veio à tona hoje mostra que a população subutilizada no país ainda soma um total de 26,4 milhões de pessoas.

A pesquisa IBGE/PNDA Contínua não captou a catarse do coronavírus, novo mantra da velha mídia para justificar o fracasso das reformas e do projeto neoliberal no Brasil.

O cenário de aumento do desemprego se soma agora à disparada do dólar, o que gera mais tensão em Jair Bolsonaro (sem partido) e deixa o ministro da Economia, Paulo Guedes, praticamente com um pé fora do governo. Que Deus o tenha!