TSE rejeita ação de Bolsonaro contra Haddad e Folha de São Paulo

Compartilhe agora


Em julgamento realizado na quinta-feira (19), o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) rejeitou ação de investigação judicial eleitoral contra a campanha de Fernando Haddad (PT) e jornalistas da Folha de São Paulo movida por Jair Bolsonaro. A decisão do TSE foi por unanimidade.

A ação foi movida pela campanha do hoje presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL), que acusou Haddad e sua candidata a vice, Manuela D’Ávila (PCdoB), de arquitetaram, em conjunto com a jornalista Patrícia Campos Mello, da Folha, a publicação de reportagens sobre o esquema da campanha de Bolsonaro de disparos de mensagens em massa nas redes sociais de forma ilegal e com os custos não declarados à Justiça Eleitoral.

Advogados da campanha do PSL afirmaram que uma matéria que denunciava o disparo de mensagens a favor de Bolsonaro era caluniosa. Segundo os autores da ação, o texto foi publicado “no calor do 2º turno” com o suposto objetivo de prejudicar a candidatura de Bolsonaro.

LEIA TAMBÉM:

Felipe Neto vai receber medalha na Câmara por ação durante Bienal do Rio

Coligação de Haddad pede cassação de Bolsonaro 

WhatsApp na fraude pró-Bolsonaro, revela Folha

O corregedor-eleitoral e relator da ação, ministro Jorge Mussi, afirmou que não foi o caso de calúnia contra a candidatura de Bolsonaro.

De acordo com ele, a partir das informações dos autos, o que se demonstrou foi o exercício da atividade jornalística com base “na relação indissociável entre a liberdade e imprensa, de expressão e democracia”.