Bolsonaro mostrou ser um “Tiririca” piorado ao ser desmentido por subordinados

Compartilhe agora!

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) teve nesta sexta (4) o seu dia de “Tiririca” — ou teria sido um dia de cão? — nos episódios em que ele anunciou o aumento do Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) e a redução do Imposto de Renda de 27,5% para 25%.

Bolsonaro foi desmentido quase que imediatamente pelos subordinados. O primeiro a vir em público dizer que o presidente havia se “enganado” foi Marcos Cintra, secretário especial da Receita Federal. Logo em seguida foi a vez de Onyx Lorenzoni, ministro da Casa Civil, jogar a pá de cal no capitão. “Foi um equívoco”, fulminou.

LEIA TAMBÉM
URGENTE: Bolsonaro pode já sofrer a primeira baixa no governo

Agora vamos ao caso Tiririca, o original.

O palhaço Tiririca (PR-SP) passou o mandato inteiro jurando que não seria mais candidato. Argumentou que não tinha se adaptado à vida de política e que voltaria ao picadeiro, porém, iniciada a campanha ele surpreendeu geral: “Adivinha quem voltou? Duvido você adivinhar. Eu enganei você. Tiririca de novo”.

Assim como Tiririca, o que Bolsonaro fala não se pode levar a sério. O capitão reformado do Exército demonstrou fraqueza, não manda nada. Teve a “credibilidade” seriamente abalada em três dias de governo e ainda poderá ter outro revés no caso da possível ‘baixa’ do ministro do Meio Ambiente. Bolsonaro nomeou Ricardo Salles para a pasta sem poder fazê-lo porque contraria a Constituição.

Enfim, os subordinados quiseram dizer que Bolsonaro ‘enganou vocês’ nos episódios do IOF e do IR.

Assista ao vídeo:

Compartilhe agora!