‘Moro tomou decisões que influenciaram o processo eleitoral’, afirma Cardozo

O ex-ministro da Justiça dos governos da presidenta Dilma Rousseff (PT), José Eduardo Cardozo, criticou a ida de Sérgio Moro para o governo de Jair Bolsonaro (PSL). Para Cardozo, o juiz da lava jato deveria ter feito uma “quarentena ética”.

LEIA TAMBÉM: Sérgio Moro chama núcleo do ‘abuso de poder’ da PF para Ministério da Justiça

Cardozo concedeu entrevista para a Folha de S. Paulo na qual refutou a afirmação de Moro que o superministério da Justiça será um cargo técnico.

“Não existe cargo de ministro que não seja político. Um ministro tem que guardar uma relação com o governo e sua visão política. Ocupei como ministro da Justiça um cargo político, porque eu era totalmente fiel ao programa de governo de Dilma Rousseff.”

‘Não é possível imaginar transformar o Ministério da Justiça num cargo técnico. Ministro é governo e governo é político. Eu acho que se está tentando dourar uma pílula que não tem possibilidade de ser dourada.” Afirmou.

O ex-ministro também reforçou a visão de que Moro atuou politicamente para eleger Jair Bolsonaro.

“Eu me lembro que por volta de julho eu vi entrevistas do presidente eleito dizendo que iria nomear o Sergio Moro para a Suprema Corte. O que me espantou não foi o convite, foi a aceitação. Eu imagino, e me parece claro aos olhos de todos, que o juiz Sergio Moro tomou decisões que diretamente influenciaram o processo eleitoral.”

LEIA TAMBÉM: PT pede ao CNJ anulação da exoneração de Moro; crimes de perseguição política precisam ser apurados

Com informações da Folha.

Comentários encerrados.