Beto Richa cobra propinas desde 2001, afirma “amigo” que delatou ex-governador tucano

Fanini, à frente, em viagem com Richa aos Estados Unidos e Caribe.

O ex-governador Beto Richa (PSDB) cobra propinas há 17 anos, ou seja, desde 2001, segundo delação premiada de Maurício Fanini — “amigo” do tucano que está preso na carceragem da Polícia Federal de Brasília. Ex-diretor da Secretaria da Educação, Fanini é acusado pelo Ministério Público no âmbito da “Operação Quadro Negro” de operar milionário esquema de desvio de dinheiro da construção de escolas para campanhas do PSDB do Paraná.

O Blog do Esmael registrou em primeira mão, no início de junho de 2015, o escândalo e a consequente queda da cúpula da Educação do Paraná na época.

Segundo o “amigo” convertido em alcaguete, Richa recebeu sua primeira propina quando ainda era vice-prefeito de Curitiba.

“A primeira oferta de propina a Richa, afirma o ex-diretor, foi feita por Eron Cunha, dono da construtora Empo, por meio de um aditivo indevido de R$ 100 mil em uma obra de pavimentação no bairro curitibano do Cajuru, ainda em 2001”, registra nesta terça (5) o portal G1.com.

Na delação à Procuradoria-Geral da República, Fanini detalha caixa 2 de Beto Richa na campanha ao governo do Paraná, em 2002, quando foi derrotado pelo atual senador Roberto Requião (MDB).

De acordo com o “amigo” delator, o dinheiro oriundo de propinas era sempre negociado por Ezequias Moreira e Luiz Abi, primo de Beto Richa.

Ainda conforme Fanini, em 2003 e 2004 a arrecadação de propinas para Beto Richa foi intensificada com vistas à eleição para a Prefeitura de Curitiba. O propinoduto prosseguiu entre 2005 e 2011, e continuou nas eleições para o governo do Paraná (2010 e 2014).

Comentários encerrados.