Por Esmael Morais

Em meio à greve de professores, suspeita de corrupção derruba cúpula da Secretaria da Educação no Paraná

Publicado em 07/06/2015

A diretora de Informação e Planejamento Vanda Dolci Garcia assumiu interinamente a superintendência da SUDE. Na campanha de reeleição, ela virou sensação por 15 minutos quando um documento do candidato para área, publicado num jornal, dizia “ver com a Vanda quais são os números”.

As suspeitas de corrupção na área educacional envolvendo mais um amigo do governador se somam às denúncias de propina na Receita Estadual, que também tem um amigo de corrida das 500 Milhas, bem como as de pedofilia com um ex-assessor e amigo de Londrina.

Mas diante de mais essa história cabeluda não dá para deixar de protestar: enquanto os educadores lutam pelo direito de receber reposição inflacionária de 8,17%, o que é lei e lhes é negado, o dinheirinho que poderia resolver o impasse da greve escorre pelo ralo da corrupção para os amigos próximos ao governador Beto Richa.

Que fazer? A quem recorrer? A educação pede socorro!