Beto Richa demite ex-deputado procurado pela Justiça

Osmar Bertoldi, que é primeiro suplente de deputado federal na coligação de Beto Richa, perdeu o emprego neste domingo (20) na Cohapar, mas vai ganhar uma bela tornozeleira eletrônica da Justiça; ex-deputado é procurado pelo judiciário há 20 dias por agredir ex-mulher, Tatiana Bittencourt, que denunciou violência sofrida.

Osmar Bertoldi, que é primeiro suplente de deputado federal na coligação de Beto Richa, perdeu o emprego neste domingo (20) na Cohapar, mas vai ganhar uma bela tornozeleira eletrônica da Justiça; ex-deputado é procurado pelo judiciário há 20 dias por agredir ex-mulher, Tatiana Bittencourt, que denunciou violência sofrida.

O governador Beto Richa (PSDB), por meio da presidência da Cohapar (Companhia de Habitação do Paraná), demitiu o ex-deputado Osmar Bertoldi (DEM) de uma diretoria do órgão.

Segundo informações preliminares, o diretor da Cohapar foi exonerado do cargo por “quebra de confiança”, depois que ele teve a prisão decretada por espancar a ex-mulher (clique aqui para assistir reportagem da TV Record).

A exoneração do ex-deputado será publicada nesta segunda-feira (21).

O juiz Rodrigo Simões Palma, do Juizado de Violência Doméstica e Familiar Contra a Mulher de Curitiba, decretou prisão domiciliar de Bertoldi, que está foragido há 20 dias.

Osmar Bertoldi é suplente do deputado federal pela coligação que reelegeu Richa  (PSDB-DEM-PR-PSC-PTdoB-PP-SD-PSD-PPS). No início de 2015, ele assumiu a cadeira na Câmara, entre fevereiro e maio, com a licença de Fernando Francischini (SD), que no período foi secretário da Segurança Pública.

Comentários encerrados.