Alckmin e Richa continuam com planos de fechar escolas, mas resistência continua em SP e PR

escolas

A presidenta da Ubes, Camila Lanes, considera que as ocupações em São Paulo devem continuar até a revogação da reformulação da rede. “Nossa meta é chegar a 100 escolas ocupadas nesse final de semana”, afirma.

Apesar de informação veiculada ontem (19) pela Folha de São Paulo, o fechamento de escolas no estado de São Paulo, a exemplo do Paraná, não foi suspenso. Parece que o anúncio da suspensão visava somente desmobilizar os estudantes que, sob a liderança da União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (Ubes), já ocupam pelo menos 74 escolas.

O secretário de Educação do governo Alckmin (PSDB), Herman Voorwald, anunciou uma proposta para desmobilizar as ocupações das escolas. Os estudantes deveriam desocupar as escolas e em 48 horas receberiam material informativo sobre a reestruturação. A partir de então, seriam iniciados debates nas comunidades, entre professores, alunos, pais, associações e conselhos. A proposta original da Secretaria prevê o fechamento de 94 unidades.

Quando questionado pelas entidades estudantis presentes à audiência se a reestruturação estava suspensa até um consenso da base popular, o secretário respondeu de forma evasiva: “As escolas devem enviar uma contraproposta para as diretorias de ensino e iremos avaliar se é viável. Depois vamos ver como será.”

A presidenta da Ubes, Camila Lanes, considera que as ocupações em São Paulo devem continuar até a revogação da reformulação da rede. “Nossa meta é chegar a 100 escolas ocupadas nesse final de semana”, afirma.

O Blog do Esmael já noticiou que o plano de fechar escolas é uma estratégia nacional dos governos do PSDB e aliados. No Paraná, a mobilização dos professores, estudantes e comunidades escolar fizeram o governador Beto Richa (PSDB) recuar e anunciar que o fechamento de escolas estava suspenso. Mas, dias depois, as notícias de fechamento de turmas voltaram.

Com informações da UBES.

4 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. Me estranha essa “indignação” de alunos logicamente manobrados – pois a desqualidade (inventei desqualidade agora) do ensino é tão grande que apenas um em cinco deles, consegue construir uma frase legível e realizar uma conta de multiplar dois algarismos por um sem recorrer à calculadora.
    Dai que duvido das potencialidade das suas capacidades naturais de discernimento.
    Estranho porque quando toda a população brada pelo enxugamento da máquina, das despesas públicas – ex: dos ministérios e dos cargos comissionados – justamente para melhorar o uso dos seus impostos, dois estados que se propõem a reorganizar a rede física de estabelecimentos, tem suas ações repudiadas e impedidas pelos seus componentes.Décadaa de setenta-oitenta em diante aqui no Paraná, acelerou-se o êxodo rural e urbano principalmente nos pequenos e médios municípios visto pela procura de grandes cidades, capitais e até de estados diversos como o vizinho MS e a distante Rôndonia, além do surgimento da figura do Brasiguaio, o brasileiro que se mandou para o Paraguai. Da noite para o dia, como surgiram na década de 40-50, se transformaram em cidades-fantamas. Ex. Maria Helena na rfegião de Umuarama, teve sua população de quase 50 mil hab., diminuida para pouco mais de 8 mil. Houve por bem, os prefeitos determinarem o fechamento de escolas rurais nos distritos, povoados e até as sediadas em fazendas, obrigando-os a frequentar os prédios das sedes. Dai resultou o tranporte escolar e distribuição de merenda, como fatores inibidores do abandono dos estudos. Por trás dos movimentos em SP e PR, ambos governados por opositores ao Regime de Exceção que reina no país, claro que existem os que puxam os barbantinhos, os que insuflam e instigam. (texto compreensível apenas para os que sabem usar o verbo dançar, isto é, quando se escreve com s ou com cedilha. Por exemplo, incompreensível para Sérgio Silvestre, Rock, Kaká e outros analfabetos funcionais).

  2. A principio no paraná a ação deve ocorrer nas ferias, segundo o baixo clero da SEED.

    Há quem diga que os CEEBJAS vão fechar, outros que os CEEBJAS farão dualidades com outras escolas, que são realidades distintas do ensino regular.

  3. Esses governantes do PSDB só serve para quebrar estado……….

    • Adriano não leu por ai na velha mídia, como diz o Esmael, que a economia paranaense superou a do Rio Grande do Sul e hoje está em quarto lugar, perdendo para São Paulo, Rio e Minas. Agora, é bom esclarecer que esse performance não se deve a apenas a um governador, como se costuma querer pensar. É resultado do trabalho de muitos, entre os quais, incluo ao qual declarei antipatia grau 10, o mamônico Roberto Requião.