Blog do Esmael

A política como ela é em tempo real.

Coluna do Marcelo Belinati: Prisões do senador e do banqueiro, o País está mudando?

prisoes

Em sua coluna desta sexta-feira, o deputado federal Marcelo Belinati (PP) comenta as prisões do senador Delcídio Amaral (PT) e do banqueiro André Esteves. Segundo Marcelo, essas prisões são marcantes pois superam a máxima de que cadeia no Brasil é só para os pobres. Para ele, a ação da justiça no combate à corrupção está trazendo esperança de que um novo país está surgindo. Leia, ouça, comente e compartilhe.

Download

Marcelo Belinati*

Desde pequeno (hoje tenho 44 anos), ouço a frase que no Brasil só os mais pobres vão para a cadeia.

Sem querer entrar no mérito da culpabilidade ou não do Senador Delcídio Amaral e do Banqueiro André Esteves, já que todos têm direito a ampla defesa e também não tenho acesso a todos os fatos que motivaram essa decisão judicial, entendo que a partir dessa decisão estabeleceu-se um marco histórico.

Desde a redemocratização do país, em 1985, é a primeira vez que um Senador, no exercício efetivo do mandato, vai preso. Um Banqueiro, então, é uma coisa quase que impensável, dado o seu poderio econômico e político.

O fato é que o cidadão brasileiro, a dona de casa, o trabalhador, o comerciante, o profissional liberal, o aposentado, os pequenos e médios industriais, a sociedade como um todo, sente com toda razão, um misto de indignação e revolta com o estado atual de coisas que estão acontecendo em nosso país.

Se por um lado temos umas das mais altas cargas tributárias do mundo, por outro os serviços públicos são de qualidade ruim. A corrupção endêmica e capilarizada desde os mais altos escalões até as mais baixas esferas governamentais – sejam elas municipais, estaduais ou federais -, aumenta ainda mais o sentimento de indignação e constrói a percepção das pessoas que a classe política, de um modo geral, não merece um mínimo de crédito.

Apesar disso tudo, sou um otimista por natureza. Acredito demais no Brasil!!!

Nosso país é fantástico em todos os sentidos, pois temos um povo bom, generoso e acolhedor, trabalhador na sua essência. Temos infindáveis recursos naturais, talvez como nenhum outro país no mundo. Uma enormidade de terras agricultáveis e tecnologia avançada nessa área. Capacidade técnica para transformação de produtos e uma indústria de ponta. Enfim, temos todas as condições necessárias para fazermos o país avançar, voltar a crescer e se desenvolver, tornando-se uma nação mais justa, humana e igualitária.

Os fatos narrados, a prisão de pessoas de tamanha importância, apesar de lamentáveis do ponto de vista político e também pessoal para os envolvidos e seus familiares, reestabeleceram uma chama de esperança nos cidadãos e cidadãs brasileiros de que é possível, sim, construirmos uma nação diferente.

Uma nação com transparência e clareza de ações e atitudes, com instituições fortes, preservando-se o estado democrático de direito, e que as mais diversas esferas de governo tenham suas prioridades centradas no ser humano, sem quaisquer tipos de privilégios. Uma nação com oportunidades para todos.

Espero que esse fato, marcado por grande simbolismo, seja didático e que sirva para mudanças efetivas de práticas e posturas. E que a classe política, as pessoas públicas, acordem para realidade de que o mundo mudou. E o Brasil também está mudando, passando por um doloroso, mas necessário momento de depuração, e que as cidadãs e os cidadãos brasileiros querem apenas ser respeitados.

*Marcelo Belinati, médico e advogado londrinense, é deputado federal pelo PP do Paraná. Escreve nas sextas-feiras sobre “Política Sem Corrupção”.

Comentários desativados.