Coluna do Marcelo Belinati: Prisões do senador e do banqueiro, o País está mudando?

prisoes

Em sua coluna desta sexta-feira, o deputado federal Marcelo Belinati (PP) comenta as prisões do senador Delcídio Amaral (PT) e do banqueiro André Esteves. Segundo Marcelo, essas prisões são marcantes pois superam a máxima de que cadeia no Brasil é só para os pobres. Para ele, a ação da justiça no combate à corrupção está trazendo esperança de que um novo país está surgindo. Leia, ouça, comente e compartilhe.

Download

Marcelo Belinati*

Desde pequeno (hoje tenho 44 anos), ouço a frase que no Brasil só os mais pobres vão para a cadeia.

Sem querer entrar no mérito da culpabilidade ou não do Senador Delcídio Amaral e do Banqueiro André Esteves, já que todos têm direito a ampla defesa e também não tenho acesso a todos os fatos que motivaram essa decisão judicial, entendo que a partir dessa decisão estabeleceu-se um marco histórico.

Desde a redemocratização do país, em 1985, é a primeira vez que um Senador, no exercício efetivo do mandato, vai preso. Um Banqueiro, então, é uma coisa quase que impensável, dado o seu poderio econômico e político.

O fato é que o cidadão brasileiro, a dona de casa, o trabalhador, o comerciante, o profissional liberal, o aposentado, os pequenos e médios industriais, a sociedade como um todo, sente com toda razão, um misto de indignação e revolta com o estado atual de coisas que estão acontecendo em nosso país.

Se por um lado temos umas das mais altas cargas tributárias do mundo, por outro os serviços públicos são de qualidade ruim. A corrupção endêmica e capilarizada desde os mais altos escalões até as mais baixas esferas governamentais – sejam elas municipais, estaduais ou federais -, aumenta ainda mais o sentimento de indignação e constrói a percepção das pessoas que a classe política, de um modo geral, não merece um mínimo de crédito.

Apesar disso tudo, sou um otimista por natureza. Acredito demais no Brasil!!!

Nosso país é fantástico em todos os sentidos, pois temos um povo bom, generoso e acolhedor, trabalhador na sua essência. Temos infindáveis recursos naturais, talvez como nenhum outro país no mundo. Uma enormidade de terras agricultáveis e tecnologia avançada nessa área. Capacidade técnica para transformação de produtos e uma indústria de ponta. Enfim, temos todas as condições necessárias para fazermos o país avançar, voltar a crescer e se desenvolver, tornando-se uma nação mais justa, humana e igualitária.

Os fatos narrados, a prisão de pessoas de tamanha importância, apesar de lamentáveis do ponto de vista político e também pessoal para os envolvidos e seus familiares, reestabeleceram uma chama de esperança nos cidadãos e cidadãs brasileiros de que é possível, sim, construirmos uma nação diferente.

Uma nação com transparência e clareza de ações e atitudes, com instituições fortes, preservando-se o estado democrático de direito, e que as mais diversas esferas de governo tenham suas prioridades centradas no ser humano, sem quaisquer tipos de privilégios. Uma nação com oportunidades para todos.

Espero que esse fato, marcado por grande simbolismo, seja didático e que sirva para mudanças efetivas de práticas e posturas. E que a classe política, as pessoas públicas, acordem para realidade de que o mundo mudou. E o Brasil também está mudando, passando por um doloroso, mas necessário momento de depuração, e que as cidadãs e os cidadãos brasileiros querem apenas ser respeitados.

*Marcelo Belinati, médico e advogado londrinense, é deputado federal pelo PP do Paraná. Escreve nas sextas-feiras sobre “Política Sem Corrupção”.

13 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. Gosto muito do que está acontecendo no País! Não sou/estou ingênua que neste primeiro momento existe uma “justiça” seletiva. No entanto, acredito que mesmo que demore, todos/as pagarão por seus crimes contra a população brasileira. Crimes que vem desde há muito tempo e que até agora, estiveram acobertados! Nunca, jamais na história Brasileira – jovem, por sinal – as cartas (lei-se, caras) foram expostas…. Amo a minha gente!!!!!

  2. Acrescento ao comentário do Pedrão a proibição de se dizer: Não sei de nada…Não tenho conta no Exterior…Fui apunhalado pelas costas…essas coisas.

  3. Achei no mínimo estranha sua afirmação de que a sociedade está indignada com a prisão de suspeitos de corrupção. Dá a entender que somente agora é que a corrupção opera neste País. Se no passado o povo não se indignava é porque não se investigava, a exemplo de Brindeiro, o engavetador geral da república. O povo sabe disso. Os que estão realmente indignados são os corruptos de partidos de direita, pois a vez deles chegará. E eu vou aplaudir de pé.

  4. nao, nao esta nao, senhor, isso só acontece com o Pt, relembremos os tucanos que mesmo com provas estao soltos, relembremos eduardo cunha, relembremos, pq nao, sr. marcelo , de um antiogo prefeito de londrina, evangelico, cheio de discurso demagogico que ja enfrentou varios processos de corrupçao e cujo sobrenome nao me recordo.

  5. Este país só mudará quando: 1. se retira o foro privilegiado de todos que agora o possuem: políticos, magistrados etc. Bandido é bandido, com o sem colarinho!
    2.se retira da Constituição a regra que diz que o Congresso tem que dar seu aval para a justiça poder processar um deputado ou senador. Repito: bandido é bandido, com ou sem colarinho. A justiça tem que prevalecer sobre a opinião dos políticos que sofrem da doença que se chama corporativismo. O pior de tudo é que são eles mesmos que fazem as regras e as leis.
    Um absurdo!
    3. se acaba com os cargos comissionados que são a origem e a causa da fraca administração do país em todos os setores. Só deveria entrar no serviço público quem tem competência a ser provada em concurso público.
    O povo brasileiro é muito bundão e covarde: como carneiro aceita a faca no pescoço e não dá nem um bééé!! Os movimentos populares têm que se multiplicar, juntar assinaturas, forçar o Congresso a mudar as regras que só beneficiam os já beneficiados.

    • Concordo que bandido deve ser preso.
      Porém juiz não pode e não deve invadir um dos Poderes da Nação.
      Este ato fulminou o Estado de Direito.
      A partir deste ato insano, referendado pelos Senadores bundões, ninguém mais pode ter sua residência como inviolável.
      Os senadore votaram para o público, ferindo de morte nossa Constituíção.
      Lamentável!

      • Não vejo invasão. É uma pessoa que cometeu um crime e por este motivo vai preso. Se esta pessoa é senador ou deputado é mera coincidência; poderia ser pintor, carpinteiro, professor. O juiz mandou prender uma pessoa, não o cargo que ele ocupa. Não somos todos iguais, ou há pessoas mais iguais que as outras?

  6. Não se trata de Direito, se trata de JUSTIÇA. Eu não aguento mais e sim, todas as vezes que eu ver uma ação razoável vou aplaudir de pé!

    • Mesmo que fira a Constituição?
      Somos uma Nação constituída por três poderes.
      Houve ingerência de um sobre o outro.
      A partir desta invasão de poderes ninguém mais pode gritar se sua residência for invadida.
      Aos juízes o poder absoluto?

  7. Na minha humilde opinião, Marcelo, que tenho apenas 7 anos a mais que Vossa Senhoria, continuará tudo como está ou piorará muito. Explico: Primeiramente, de seu partido, são 30 deputados e ex-deputados indiciados por corrupção e roubalheira. Todos soltos. O mundo mineral (como diz Mino Carta) sabe que o doleiro Youssef operava para o PP e para o PSDB, sempre. Do PT, tem um ou dois … agora três. E para nossa surpresa (não é torcida como muitos torcem) somente os do Partido dos Trabalhadores estão presos. O resto é devidamente escondido pelos juízes (no minúsculo mesmo) com a conivência do judiciário (também no minúsculo). Qualquer dia desses, o banqueiro preso consegue um HC de um Gilmar Mentes da vida, que libera banqueiro e estuprador e irremediavelmente, mesmo tendo-se 11 ministros na corte, os pedidos acabam “caindo” sempre ou na mão dele, ou na mão do Marco Aurélio Mello, primo de Collor. Quando nossa justiça começar a ser um pouco mais séria, talvez mude alguma coisa. Até lá, somente os 4 p´s vão se ferrar, com a torcida dos imbecis que, sem votos, e com a ajuda da mídia, elegem os Aécios, os Çerras, os Alckmin, os ACM´s neto, os Betos da vida, em detrimento da sociedade e do patrimônio público. Não vou nem entrar no mérito do Legislativo (Câmara dos deputados, senado, assembleias estaduais e câmaras de vereadores) que, pra se salvar algum, demora, é somente analisar Cunha e seus 300, ou o próprio presidente do senado, Renan Calheiros. Da mídia podre que sempre estiveram envolvidas em golpes e política, para que seus apaniguados e protegidos se fartem de verbas publicitárias divididas entre eles então, nem se fala. A família marinho, tem as maiores fortunas do Brasil, cada um dos três com 20 bilhões no bolso, somados, dá mais de 60 bi e tudo isso devidamente saqueado dos cofres públicos ao longo do período em que a poderosa globo manda e desmanda no país varonil. Mais gerações deverão passar. Como Moisés e aquela geração que saiu do Egito, estamos abandonados a sorte no deserto e não veremos a terra prometida.

    • Assino junto seu texto.
      Os senadores votaram para a platéia, esquecendo a divisão dos Poderes.
      Vamos ver como votaram?
      Vamos ver quem ajudou a desconstituir nosso Estado de Direito.
      Lamentável!

  8. Discordo frontalmente.O que foi para o brejo foi justamente o Estado de Direito Democrático em troca do show.E não são esquerdistas dizendo. São juristas direitistas.Parece que algo escapou ao controle do Supremo que vive prestando atenção em outras cousas e tiveram que fazer essa correria.