Paraná inteiro se levanta contra o fechamento de escolas por Beto Richa

manifestos

A iniciativa do governador Beto Richa (PSDB) de fechar mais de uma centena de escolas por todo o Paraná, além de ser um tiro no pé do governo, pode se tornar o maior “mico” dessa gestão.

Isso porque durante as greves, no episódio do confisco da previdência, da sonegação à data-base e nos outros calotes, o tucano estava mexendo só com os servidores. Ao fechar uma escola, o governo abala toda uma comunidade.

Essa é a aposta da APP-Sindicato e das comunidades atingidas pela “otimização” planejada por Richa e pela Secretaria de Estado da Educação (SEED).

Nesta quinta-feira (29) a comunidade escolar da Escola Nossa Senhora de Fátima, no bairro Tarumã, em Curitiba, realizará um protesto na Avenida Vítor Ferreira do Amaral. O ato será às 7h15 da manhã. E o motivo é a ameaça de fechamento da escola que funciona desde 1961.

Também nesta quinta-feira, diversas categorias do funcionalismo público estadual vão realizar um Ato na Boca Maldita, Centro de Curitiba, para marcar os seis meses do Massacre de 29 de Abril.

A APP irá aproveitar para colher assinaturas e entregar panfletos denunciando para a sociedade as medidas que o governo vem tomando, causando insegurança e incerteza geral nas escolas do Paraná.

No dia 05 de novembro, diversas escolas ameaçadas de fechamento farão mobilização no trânsito nas proximidades do prédio escolar, denunciando fechamentos e pedindo apoio da comunidade.

No dia 09 de novembro está marcada uma Audiência Pública na Assembleia Legislativa para tratar do fechamento das escolas, da Lei da Mordaça e da Lei da Privatização “Adote uma Escola.

Parece que o governador não aprendeu nada com a “guerra” que causou no primeiro semestre deste ano. Saiu com a popularidade e a aprovação destruídas a custo do sangue dos professores e servidores. E agora, vai colocar as mãos no vespeiro novamente?

Com informações da APP-Sindicato

Comentários encerrados.