Por Esmael Morais

Bate-boca entre deputados governistas termina com ‘pedido de cabeça’ do secretário de Fazenda do Paraná

Publicado em 11/08/2015

romanelli_brasileiroO k-suco ferveu esta tarde na Assembleia Legislativa do Paraná. Deputados governistas abriram fogo contra o interventor nacional do PSDB nas finanças do estado, Mauro Ricardo Costa, secretário de Fazenda. A oposição assistiu o entrevero à distância, com exceção de Nereu Moura (PMDB).

A temperatura subiu depois que o deputado Chico Brasileiro (PSD), da tribuna, pediu a exoneração do secretário em virtude da extinção das delegacias da Receita Estadual nos municípios de Foz do Iguaçu e União da Vitória. O parlamentar apresentou requerimento para convocar Costa para explicar o fechamento do órgão nesses dois municípios.

Assista ao vídeo

O líder do governo na Casa, Luiz Claudio Romanelli (PMDB), acusou Brasileiro de buscar “curtidas” no Facebook e de fazer uma disputa política com a colega iguaçuense Claudia Pereira (PSB). “Já discuti o tema com a deputada Claudia Pereira, que tem o mando”, informou.

O deputado Hussein Bakri (PSC), ao se referir a Mauro Ricardo Costa, afirmou que esse “cidadão é nefasto para os interesses paranaenses”.

Após apelos dos próprios governistas rebelados, Chico Brasileiro, que é do mesmo partido de Eduardo Sciarra, chefe da Casa Civil, retirou o requerimento até a sessão de amanhã. Nereu Moura, por sua vez, disse que o colega não poderia fazê-lo regimentalmente. “O requerimento convocando o governador [de fato] não pode ser retirado da pauta”, provocou.

No meio desse quiproquó danado, o deputado Francischini Kid (SD) aproveitou para solicitar explicações do secretário fazendário sobre a inserção do CPF dos consumidores nas notas fiscais eletrônicas. Segundo o parlamentar, muitas pessoas acreditam que seus dados, adquiridos pelo programa “Nota Paraná”, serão repassados à Receita Federal.

Quanto à extinção das delegacias de Foz e União da Vitória, suspeita-se de “queima de arquivo” nesses dois municípios. Será? Com a palavra o Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado).