Após 25 anos na Câmara Federal, Bolsonaro aprova sua 1ª emenda

Publicado em 17 junho, 2015
Compartilhe agora!

bolsonaroJair Bolsonaro (PP-RJ) acaba de completar 25 anos ininterruptos como deputado federal em Brasília. O experiente parlamentar, na noite de terça-feira, comemorou pela primeira vez na vida a aprovação preliminar de uma proposta de emenda constitucional (PEC) de sua autoria.

“Sou completamente discriminado porque eu sou um homem de direita”, afirma. “Alguns projetos eu dou para (outro) deputado apresentar porque, se pintar meu nome, não vai para frente” – ele não informou quais teriam sido estes projetos.

Por 433 votos a favor e 7 contra, a Câmara dos Deputados aprovou ontem uma PEC que prevê emissão de “recibos” junto ao voto nas urnas eletrônicas. O texto, que precisa passar novamente pela Câmara e depois pelo Senado para ser promulgado, permite a recontagem manual dos votos em caso de suspeita de fraude.

Recordista de votos (464,5 mil) no Rio de Janeiro nas últimas eleições, Bolsonaro fala alto, não gosta de ser interrompido e recorre mais de uma vez a metáforas esportivas durante o bate-papo com a BBC Brasil. “Tão importante quanto fazer uma cesta de três pontos é dar um toco lá atrás e evitar que o adversário faça uma cesta”, diz.

Ele ilustra a importância de sua atuação com a campanha que realizou contra a aprovação de um kit didático contra a homofobia que seria distribuído em 6 mil escolas de Ensino Médio, há quatro anos.

Após pressão de Bolsonaro e da bancada evangélica, com quem costuma votar em bloco, a presidente Dilma Rousseff cedeu e vetou o programa que havia sido idealizado pelo Ministério da Educação.

Afirmando ser alvo de perseguição, Bolsonaro diz que a maioria dos congressistas não vota de acordo com a pauta, mas “pelo autor do projeto”.

“Eu muitas vezes represento sozinho uma oposição maior que a de todos os outros partidos que se dizem oposição aqui dentro”, diz. Ele promete se candidatar à Presidência em 2018 e dá exemplos de sua plataforma:

“Sou a favor de um currículo escolar voltado para Física, Química e Biologia. Não para socialismo, para direitos humanos, para homossexualidade.”

“Sou a favor de explorarmos com países de primeiro mundo o que nós temos nas reservas indígenas. Eles (o governo) são contra,” completa.

Da BBC Brasil, editado. 

Compartilhe agora!

Comments are closed.