Coluna do Requião Filho: Paraná em luto pela educação, pela política e pela democracia

requiaofilho_profRequião Filho*

Não há muito o que dizer, as imagens do confronto sangrento entre Policiais Militares e Servidores Públicos são suficientes para demonstrar a gravidade do que aconteceu na fatídica data do dia 29/04/2015. Data esta que jamais será apagada da memória de todos.

Dia 29 de abril, acredite quem quiser, o Estado do Paraná colocou praticamente todo o seu efetivo para BATER, sim senhores leitores, BATER, ATIRAR BOMBAS, AGREDIR, HUMILHAR, DENEGRIR, PISOTEAR, todos que em praça pública pediam de forma legítima que o Projeto de Lei de autoria do Governo do Estado não fosse aprovado.

Vejam, as pessoas estavam GRITANDO! Pedindo socorro para que aqueles que estavam “protegidos”, em suas cadeiras, dentro da Assembleia Legislativa ao menos as escutassem! Gritando para que os deputados que elas mesmas elegeram, não aprovassem um projeto que viola seus direitos e condena o futuro da aposentadoria dos servidores públicos paranaenses.

Portanto, possuíam os manifestantes apenas o forte grito. O grito daqueles que se sentem oprimidos pela força estatal. E do outro lado, contra eles, tinha o Estado todo o aparato militar. Não poupou esforços a chefia da Segurança Pública Estadual para deixar claro que aqui no Paraná, quem manda é a força, não é o diálogo. Até mesmo táticas de guerra se valeram para amedrontar e dispersar os “perigosos e arruaceiros” professores, os “enérgicos e truculentos” servidores públicos, os “baderneiros” simpatizantes e até mesmo crianças de uma creche próxima ao local, que munidos de aguas minerais, protetores solares, GRITAVAM pela não aprovação do Projeto de Lei.

Mas, o desejo do Governo do Estado, para a Assembleia Legislativa é uma ordem! E assim foi feito. Milhares de bombas atiradas. Centenas de pessoas feridas! O Centro Cívico inteiro em pânico! E o projeto aprovado!

Não posso deixar de dizer que acredito, e acredito veementemente, que muitos generais do período militar, dos anos de chumbo, quando no Brasil a opressão era a regra e as garantias fundamentais suprimidas, se tiveram eles a oportunidade de visualizar as fortes imagens promovidas pela Segurança Pública do Paraná no dia 29/04/2015, com toda a certeza perceberam que ainda fazem escola pelo país e que alguns de seus pupilos superaram os mestres!

Sei que a coluna de hoje em nada pode amenizar a dor de ontem, nem reverter a vergonhosa votação, mas que pelo sirva para demonstrar a tristeza de todo o Estado e a vergonha de ver meus pares ao som de bombas aprovarem o Projeto de Lei repudiado pelo povo do Paraná.

Me solidarizo com todos os manifestantes! Me solidarizo com todos os servidores do Estado! Meu sentimento de LUTO pela EDUCAÇÃO DO ESTADO, pela POLÍTICA PARANAENSE e pela PELA DEMOCRACIA, pisoteada na data de hoje pelas ordens emanadas pela chefia do Estado do Paraná.

*Requião Filho é advogado, deputado estadual pelo PMDB, vice-líder da oposição na Assembleia Legislativa do Paraná, especialista em políticas públicas.

Comentários encerrados.