Por Esmael Morais

“A Receita é ferramenta de arrecadação para Beto Richa”, acusa deputado João Arruda; assista ao vídeo

Publicado em 11/04/2015

Requião dá pistas sobre o rumo das investigações de corrupção na Receita Estadual: "Esse sujeito [Luiz Abi] chefiou o caixa 2 do governo, segundo o Ministério Público Estadual. Isso não pode terminar só nele. ‘O melhor está por vir’, sem sombra de dúvidas"; abaixo, assista ao vídeo com discurso de João Arruda.

Requião dá pistas sobre o rumo das investigações de corrupção na Receita Estadual: “Esse sujeito [Luiz Abi] chefiou o caixa 2 do governo, segundo o Ministério Público Estadual. Isso não pode terminar só nele. ‘O melhor está por vir’, sem sombra de dúvidas”; abaixo, assista ao vídeo com discurso de João Arruda.

O deputado federal João Arruda, coordenador-geral da bancada paranaense em Brasília, foi o orador mais virulento ontem à noite (10), no município de Fernandes Pinheiro, região dos Campos Gerais, durante encontro regional do PMDB.

“Hoje, a Receita é uma ferramenta de arrecadação do governador [Beto Richa] e dos seus parentes. O senhor Luiz Abi chefiava uma quadrilha na Receita Estadual”, denunciou Arruda.

O deputado defendeu que o PMDB feche questão pela instalação da CPI da Assembleia para investigar a corrupção no governo Richa.

Arruda conclamou ainda o povo sair às ruas, a exemplo do que fizeram os professores, para pressionar os deputados estaduais a assinarem a CPI da Corrupção.

O senador Roberto Requião (PMDB), tio de Arruda, não deixou por menos. Apontou os malfeitos de Luiz Abi, recordando que o primo de Richa fora condecorado pela PM.

“Esse sujeito chefiou o caixa 2 do governo, segundo o Ministério Público Estadual. Isso não pode terminar só nele. O melhor está por vir, sem sombra de dúvidas”, avisou Requião, em tom enigmático.

Na manhã deste sábado (11), Requião voltou ao tema pelo Twitter:

O Blog do Esmael, em parceria com a TV 15, transmitiu o encontro peemedebista ao vivo na noite de ontem. A íntegra do evento você acha clicando aqui.

O Grupo de Atuação Especial de Combate do Crime Organizado (Gaeco), braço policial do Ministério Público, investiga a partir de Londrina esquema que envolveria integrantes do conselho de contribuintes, Paraná Competitivo, diretoria e delegacias regionais da SEFA, bem como escritórios especializados em direito tributário.

O Blog do Esmael registrou no final de março que ‘Beto Richa sabia da influência do primo Luiz Abi na Receita Estadual’ detalhando roteiro da Operação Publicano, que investiga prejuízo que pode ultrapassar R$ 1 bilhão ao governo do estado.

Assista ao vídeo com o discurso de Arruda: