Coluna do Marcelo Araújo: Guardas Municipais e Exército no trânsito. Pode isso?

Publicado em 28 abril, 2014
Compartilhe agora!

Marcelo Araújo, em sua coluna desta segunda, revela que as atribuições da Guarda Municipal estão sob análise do ministro Marco Aurélio Mello, no STF; especialista em multas, o colunista afirma que uma decisão contrária à s Guardas no trânsito terá efeitos de proporções devastadoras em todo o país; segundo ele, a Secretaria de Trânsito de Curitiba está treinando soldados do Exército para atuar no trânsito, que na prática não terão nenhum poder de fiscalização, apenas de convencimento!, pois, ironiza Araújo,  não é saudável contrariar alguém que porta fuzil!; o especialista em multas e trânsito também deu mais uma canelada no Sindicato dos Trabalhadores na Urbs (SindiUrbano): na gestão anterior brigava com valentia e virilidade por seus direitos, e agora não apenas
Marcelo Araújo, em sua coluna desta segunda, revela que as atribuições da Guarda Municipal estão sob análise do ministro Marco Aurélio Mello, no STF; especialista em multas, o colunista afirma que uma decisão contrária à s Guardas no trânsito terá efeitos de proporções devastadoras em todo o país; segundo ele, a Secretaria de Trânsito de Curitiba está treinando soldados do Exército para atuar no trânsito, que na prática não terão nenhum poder de fiscalização, apenas de convencimento!, pois, ironiza Araújo, não é saudável contrariar alguém que porta fuzil!; o especialista em multas e trânsito também deu mais uma canelada no Sindicato dos Trabalhadores na Urbs (SindiUrbano): na gestão anterior brigava com valentia e virilidade por seus direitos, e agora não apenas “afrouxa o sutien”, vai além, arria a parte de baixo do conjunto e ainda toca as palmas das mãos e a patela no chão para a gestão do prefeito Gustavo Fruet; leia o texto.
Marcelo Araújo*

No último dia 23 de abril, a Câmara dos Deputados aprovou o PL 1332/2003 que regulamenta a atividade das Guardas Municipais. Agora o texto será enviado ao Senado (clique aqui). Dentre as atribuições previstas no PL está a de exercer a atividade de agente de trânsito.

O tema da competência das Guardas Municipais exercerem essa atividade está sob análise do Supremo Tribunal Federal, que conta como relator o ministro Marco Aurélio Mello e cuja decisão implica em repercussão geral, ou seja, mesmo discutindo o caso das Guardas do Rio de Janeiro, a decisão terá efeito sobre todas as Guardas Municipais pelo país, em relação a exercício da atividade no trânsito (clique aqui).

Dezenas são os municípios pelo país nos quais as Guardas possuem essa atribuição, e alguns até abrem concurso que exige conhecimento específico para tal como é o caso de Recife que se encontra em andamento.

Mesmo sendo um ministro polêmico e nem sempre acompanhado de maioria ou unanimidade, imagino que ele saiba os efeitos de proporções devastadoras que uma decisão contrária à s Guardas no trânsito trará no país, então prudente é a postura de acompanhar o andamento do PL que poderá tirar o fardo das costas do STF.

No ano passado, a Prefeitura de Curitiba encaminhou à  Câmara de Vereadores PL para criação do cargo de Agente de Trânsito para administração direta (vez que os atuais agentes são regularmente cedidos e devidamente credenciados para exercer a atividade para a SETRAN), porém afastou a possibilidade de credenciar a Guarda para exercer essa atribuição. Pelo contrário, manipulou os atuais agentes para pensarem que isso seria bom para eles (os atuais) e ainda convencendo muitos de que minha posição ao defender o credenciamento da Guarda seria contra eles.

Sempre defendi e defendo os atuais agentes, pra mim são os melhores. Aliás, me causa estranheza a posição do Sindicato (SindiUrbano) que os representa, que na gestão anterior brigava com valentia e virilidade por seus direitos, e agora não apenas afrouxa o sutien, como diria Esmael, vai além, arria a parte de baixo do conjunto e ainda toca as palmas das mãos e a patela no chão para a atual gestão do prefeito Gustavo Fruet (PDT).

A pressa para concurso e treinamento de novos agentes era devido à  Copa que se avizinhava. Pois bem! Estamos diante da Copa e nada de novos agentes.

Ao invés de treinar a Guarda e credenciar alguns, a Setran está treinando soldados do Exército para atuar no trânsito, que na prática não terão nenhum poder de fiscalização, apenas de convencimento!, pois não é saudável contrariar alguém que porta fuzil.

A vantagem dos Guardas é que além de já conhecerem a cidade e os problemas estão descentralizados e poderiam dar um suporte aos atuais agentes, que não precisariam ser chamados em locais afastados porque alguém estacionou na garagem de terceiro e não obedece o Guarda que não pode autuá-lo.

De multa eu entendo!

*Marcelo Araújo é advogado, presidente da Comissão de Trânsito, Transporte e Mobilidade da OAB/PR. Escreve nas segundas-feiras para o Blog do Esmael.

Compartilhe agora!

Comments are closed.