Xingado de traidor por Bolsonaro, Sergio Moro ataca o PT para desviar atenção do respeitável público

Xingado de traidor por Bolsonaro, Sergio Moro ataca o PT para desviar atenção do respeitável público

O ex-juiz suspeito Sergio Moro, se não tivesse optado pela magistratura, poderia se dar bem no ilusionismo. O moço da lava jato subiu no picadeiro nesta terça-feira (30/11) após ser xingado de traidor pelo senador Flávio Bolsonaro (PL-RJ), filho do presidente da República Jair Bolsonaro (PL).

Ao invés de responder o ofensor, o Zero Um, Moro resolveu destinar seu ódio contra uma instituição com mais de dois milhões de filiados –o Partido dos Trabalhadores.

Segundo Flávio Bolsonaro, Moro é um traidor porque expôs a deputada Carla Zambelli (PSL-SP), de quem o ex-juiz é padrinho de casamento. O pré-candidato do Podemos também foi chamado de traidor porque, segundo o rebento presidencial, não investigou “quem mandou matar Jair Bolsonaro”

Com o intuito de desviar a atenção das críticas dos Bolsonaro contra si, Moro resolveu requentar fake news do Globo de acusações anuladas pelo Supremo Tribunal Federal (STF). Na prática, o Moro comete calúnia não contra o PT, mas contra a nação petista –que pode reagir à injusta agressão.

“O PT é negacionista da corrupção. O partido quase quebrou a Petrobras e os prejuízos com a corrupção e a má gestão ultrapassaram R$ 55 bilhões, segundo a própria empresa. A Lava Jato livrou a Petrobras de um rombo ainda maior. A dúvida: negam porque querem fazer tudo de novo?”, despistou Sergio Moro, depois de ser acusado de traidor pelos ex-companheiros de golpe.

Segundo estudo do Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos), a Lava Jato fez o Brasil perder R$ 172,2 bilhões em investimentos e encerrou 4,4 milhões de empregos no País durante sua vigência. Uma tragédia econômica e social.

Mas, preocupado em desviar a atenção das críticas dos Bolsonaro, Sergio Moro continua a enganar o distinto público –sempre com a complacência e participação da velha mídia corporativa.

“Até o final de novembro de 2021, foram arrecadados cerca de R$ 1,5 bilhão no pagamento das multas fixadas em 120 acordos de colaboração premiada homologados pelo STF na Operação Lava Jato. São acordos relacionados aos desvios na Petrobras, aqueles que o PT diz que não ocorreram”, afirma o suspeito ex-juiz.

Embora tente provocar uma comoção –e quiçá até uma polarização–, a opinião pública vê o PT como um dos partidos menos corruptos do País.

Mas, afinal, por que Sergio Moro não respondeu Bolsonaro? Ora, porque Moro tenta fazer uma transfusão do bolsonarismo para o lavajatismo. Sergio Moro já “se acha” no segundo turno contra Lula.

Moro é uma variante de Bolsonaro.

Fake news da Globo pode? Fake News do Moro pode?