Temer quer cancelar as eleições 2018. Era só que o que faltava!

Era só o que faltava. O ilegítimo Michel Temer (PMDB) quer cancelar as eleições de 2018.

A medida ajudaria ele, que não tem votos, e os parlamentares que correm o risco de não se reelegerem em virtude de suas recentes votações contra os trabalhadores.

A medida protocolada na Câmara prorrogaria os atuais mandatos para cinco anos, ou seja de vereadores, prefeitos, deputados, governadores e presidente da República.

Na prática, além de Temer, no Paraná, teríamos de aturar Beto Richa até 2020; a “Bancada do Camburão” na Assembleia Legislativa; e os golpistas no Congresso Nacional.

Para entender o caso

O presidente da Câmara Rodrigo Maia (DEM-RJ), o “Botafogo” nas planilhas da Odebrecht, determinou na quarta-feira (3) a instalação de uma comissão especial com 34 integrantes para analisar a Proposta de Emenda à Constituição. Já nesta quinta-feira (4), o texto foi lido em plenário para ganhar celeridade na tramitação.

O projeto original foi protocolado em 2013 pelo deputado Marcelo Castro (PMDB-PI) versava sobre o fim da reeleição e mandato de cinco para que as eleições coincidissem. Entretanto, o contexto era outro, de democracia, sem golpe de Estado.

O cenário de agora é de ataque aos direitos dos trabalhadores e da sociedade, que assistem ao Congresso pôr fim às garantias trabalhistas e à aposentadoria; aos bancos nadando de braçada e aos ativos (estatais) sendo dilapidados; ao desemprego batendo na porta do céu; enfim, ao aumento visível da miséria no país em apenas um ano de golpe.

Portanto, o casuísmo dessa PEC entra na barganha para que os congressistas confirme o voto contra os trabalhadores nas reformas previdenciária e trabalhista.

Os brasileiros suportariam até 2020 nesse ritmo? Evidentemente que não.

Por isso Temer e os golpistas no Congresso querem fugir das eleições como o diabo foge da cruz.

Só há um remédio para mais esse golpe: eleições diretas já para todos os níveis!

Segundo recente pesquisa Datafolha, 85% defendem mudança na Constituição para realização de eleições gerais diretas já.

Os comentários estão encerrado.