6 de maio de 2015
por Esmael Morais
17 Comentários

Richa cria ‘governo de zumbis’ ao deixar secretários na marca do pênalti

zumbis_governo_richa

O governador Beto Richa (PSDB) tem mostrado bastante vacilante em relação à troca no secretariado, postura bem diferente que adotou quando autorizou o bombardeio de professores no último dia 29 de abril.

De acordo com o Palácio Iguaçu, o titubeante tucano teve “compaixão” com o secretário da Segurança, Fernando Francischini, que teria pedido uma segunda chance no cargo.

Após reunião que Francischini teve hoje com o governador no “Chapéu Pensador” — uma espécie de gabinete escondido, que pertence a Copel — Richa foi classificado por pessoas próximas ao secretário de “covarde” e acusado de “não honrar as calças que veste” e pertencer a uma “quadrilha”.

Nos bastidores do Centro Cívico, já se discute substitutos do Batman. Entre os cotados estão o ex-deputado delegado Bradock, sargento Fahur e o delegado da Polícia Federal José Iégas.

Além de Francischini, o comandante geral da Polícia Militar, coronel César Kogut, também está na marca do pênalti. Richa avisou que o demitiria, mas igualmente voltou atrás a pedido do deputado Mauro Moraes (PSDB). Aliás, o militar endereçou no início desta tarde uma “carta ácida” ao governador acusando o ainda secretário da Segurança de participar do planejamento do massacre dos professores. Leia mais