10 de dezembro de 2013
por esmael
31 Comentários

Coluna do André Vargas: “Como Beto Richa conseguiu quebrar as finanças do Paraná”

André Vargas, em sua coluna desta terça, faz "necropsia" do governo Beto Richa; ao relatar motivos da quebradeira do Paraná, petista compara "desgoverno" tucano com a gestão de Requião, a quem elogia, e divide culpa do caos financeiro no estado com o senador àlvaro Dias, que teria indicado Luiz Carlos Hauly para a Secretaria da Fazenda (ele deixou o cargo recentemente); colunista questiona motivos de o tesouro estadual querer empréstimos sendo que arrecadará R$ 30 bilhões em 2014; vice-presidente da Câmara afirma que este governo não tem rumo, não tem identidade e nenhuma marca! e ao final crava uma pergunta: o que Beto Richa fez a não ser gastar mais recursos em consertos de veículos do que em manutenção de estradas e vias?!; leia o texto.

André Vargas, em sua coluna desta terça, faz “necropsia” do governo Beto Richa; ao relatar motivos da quebradeira do Paraná, petista compara “desgoverno” tucano com a gestão de Requião, a quem elogia, e divide culpa do caos financeiro no estado com o senador àlvaro Dias, que teria indicado Luiz Carlos Hauly para a Secretaria da Fazenda (ele deixou o cargo recentemente); colunista questiona motivos de o tesouro estadual querer empréstimos sendo que arrecadará R$ 30 bilhões em 2014; vice-presidente da Câmara afirma que este governo não tem rumo, não tem identidade e nenhuma marca! e ao final crava uma pergunta: o que Beto Richa fez a não ser gastar mais recursos em consertos de veículos do que em manutenção de estradas e vias?!; leia o texto.

por André Vargas*

Não é de hoje que o governo da presidente Dilma Rousseff, moldado pela gestão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que pautou sua administração na ação social, onde melhorou e retirou da miséria extrema perto de 40 milhões de brasileiros, marginalizados por governo anteriores, vem tentando retirar da letargia os conformados do governo Beto Richa, para quem nada significa esperança e ainda pregam o imobilismo. Passaram-se três anos e o Paraná continua sem identidade, mergulhado em profunda crise financeira e sem um norte para seguir. Leia mais