6 de agosto de 2014
por esmael
33 Comentários

Richa sacrifica ensino médio em Pato Branco para reduzir gastos

Um comunicado de março, mas que foi mantido em sigilo até agora, da Secretaria de Estado da Educação (SEED) do governo do Paraná determina o fechamento das turmas de ensino médio noturno no tradicional Colégio La Salle de Pato Branco. A justificativa seria de que a demanda é reduzida, visto que há somente! 100 alunos divididos em três turmas. Qualquer profissional de educação sabe que uma turma com mais de 30 alunos não pode ser considerada pequena.

O Blog do Esmael vem noticiando há tempos o abandono da educação pública no governo Beto Richa. O tucano enfrentou uma greve e diversos protestos pela maneira como a área vem sendo administrada. Já houve até falta de merenda em escolas. Trata-se mais um desdobramento do “choque de gestão” do governo Beto Richa, ou seja, com o fechamento das salas de aula reduz-se o quadro de professores. No comunicado há também a orientação para que o valor do aluguel seja renegociado e reduzido. ! Dessa forma, o governo tenta cumprir o limite prudencial (gasto em folha) previsto na Lei de Responsabilidade Fiscal, sem o qual fica impedido de obter empréstimos.

O Colégio La Salle Pato Branco é fruto de parceria, na qual a Associação de Pais e Mestres é responsável pelo corpo docente e pela manutenção da escola e a Rede La Salle contribui, cedendo o edifício e prestando apoio pedagógico e formativo à  comunidade educativa.

Leia aqui o fac símile do comunicado da SEED:

http://www.esmaelmorais.com.br/wp-content/uploads/2014/08/CE-La-Salle.pdf

19 de Fevereiro de 2014
por esmael
44 Comentários

Richa corta R$ 78 milhões de escola, mas pega emprestado R$ 65 milhões para estádio da Copa

por Rodrigo Mattos, no portal UOL

Governo Beto Richa tomou emprestados R$ 65 milhões para terminar a Arena da Baixada visando abrigar quatro jogos da Copa, mas, com a outra mão, cortou R$ 78 milhões para reformas e construção de escolas no Paraná; na foto acima, a Escola Municipal Lagoinha, toda de madeira, construída em Mandirituba, região metropolitana de Curitiba, longe do "Padrão Fifa", coloca em risco a segurança da comunidade escolar; senador Roberto Requião, pelo Twitter, comentou o contra-senso: "intolerável".

Governo Beto Richa tomou emprestados R$ 65 milhões para terminar a Arena da Baixada visando abrigar quatro jogos da Copa, mas, com a outra mão, cortou R$ 78 milhões para reformas e construção de escolas no Paraná; na foto acima, a Escola Municipal Lagoinha, toda de madeira, construída em Mandirituba, região metropolitana de Curitiba, longe do “Padrão Fifa”, coloca em risco a segurança da comunidade escolar; senador Roberto Requião, pelo Twitter, comentou o contra-senso: “intolerável”.

O jornalista Rodrigo Mattos, do portal UOL, destaca na sua coluna o contra-senso do Governo do Paraná, que vive uma dramática crise financeira, mas toma empréstimo do BNDES para financiar a obra da Arena da Baixada. Abaixo a íntegra da coluna: Leia mais