Filme mostra os riscos das privatizações para a sociedade brasileira [assista o vídeo]

Copel tenta privatizar semana que vem uma vila em Faxinal do Céu

A deputada federal Gleisi Hoffmann, presidenta nacional do PT, publicou um vídeo em suas redes sociais que pode expressar o humor do partido que está no poder e do presidente Luiz Inácio Lula da Silva sobre os rumos que as privatizações podem tomar no País. [Abaixo, assista o filme.]

Nos últimos anos, o Brasil tem vivenciado uma série de privatizações em diversos setores, como energia, telecomunicações, petróleo, entre outros. Essas medidas foram justificadas como uma forma de aumentar a eficiência, reduzir os custos e melhorar a qualidade dos serviços prestados à população.

No entanto, a deputada Gleisi Hoffmann alerta para os riscos dessas privatizações para a sociedade brasileira. Recentemente, uma iniciativa da Federação dos Bancários do Paraná (FETEC-PR) utilizou o humor para chamar a atenção para essa questão.

Economia

Com uma ação bem-humorada, que viralizou espontaneamente nas redes sociais, a população experimentou na prática por algumas horas a perda de acesso gratuito a espaços públicos, como quadras e pistas de skate. Essa experiência provocou uma reflexão sobre o tema das privatizações e seus efeitos na vida das pessoas.

O filme mostra que, quando serviços públicos essenciais são privatizados, os interesses do lucro acabam se sobrepondo aos interesses da população. Os preços são elevados, a qualidade dos serviços prestados é reduzida e muitas vezes as empresas privadas não se preocupam com as consequências sociais e ambientais de suas ações.

Natal Foz

Além disso, as privatizações também podem gerar desemprego e reduzir a capacidade do Estado de investir em áreas estratégicas para o desenvolvimento do país. E, como demonstrado pela iniciativa da FETEC-PR, a população pode perder o acesso a espaços públicos e equipamentos comunitários que são essenciais para o seu lazer e qualidade de vida.

Recentemente, o tema das privatizações ganhou espaço na agenda do Palácio do Planalto porque o presidente Lula anunciou a retomada do controle acionário da Eletrobras. No caso do Paraná, há uma intensa movimentação contrária à venda da estratégica e eficiente Copel (Companhia Paranaense de Energia) – o que pode colocar em risco a qualidade do serviço e aumentar a tarifa de energia para os consumidores.

Portanto, é importante que a sociedade brasileira esteja atenta aos riscos das privatizações e cobre dos governantes e empresas envolvidas a transparência e o compromisso com o bem-estar coletivo. É fundamental garantir que os serviços públicos essenciais continuem sendo oferecidos com qualidade, eficiência e acessibilidade a todos os cidadãos.

Assista o filme e, após o vídeo, continue lendo sobre a copel:

Copel tenta privatizar uma vila em Faxinal do Céu

A Copel, Companhia Paranaense de Energia, lançou uma nova tentativa de venda da vila de Faxinal do Céu e do aeroporto de Pinhão, no Centro-Sul do Paraná, a 300 km de Curitiba.

A estrutura, constituída para abrigar trabalhadores da Usina de Foz do Areia, foi reformada pelo governo do Estado em 1995 e abrigava a Universidade do Professor, que promovia oficinas, palestras e cursos de capacitação para professores de escolas públicas do Paraná. Em 2011, o projeto foi encerrado.

A Copel tem o direito de explorar a usina até setembro de 2023, mas após essa data a concessão para os próximos 30 anos irá para um novo leilão.

A empresa formalizou um pedido ao Ministério de Minas e Energia para repassar 51% da operação da usina à iniciativa privada, e para atrair o interesse do setor privado, organizou um plano de redução de custos que inclui a venda de vilas residenciais, como a de Faxinal do Céu.

A venda inclui toda a estrutura, incluindo o jardim botânico e a escola, pelo valor mínimo de R$ 107,97 milhões, e o aeroporto Governador Bento Munhoz da Rocha Netto, avaliado em quase R$ 4,48 milhões.

O período para apresentação de propostas está aberto até às 14h do dia 15 de maio. A tentativa anterior de venda da estrutura, em novembro de 2022, não teve interessados.

A venda de estruturas públicas, como essa, tem gerado polêmica e discussões acerca dos riscos e benefícios das privatizações para a sociedade brasileira, como demonstrado no filme que viralizou nas redes sociais e na iniciativa da Federação dos Bancários do Paraná.

LEIA TAMBÉM