Segundo turno no Chile: Boric [esquerda] x Kast [direita] disputam a presidência neste domingo

Esquerda x direita: “Lula” do Chile [Boric] vence o “Bolsonaro” do Chile [Kast]

No chile, a esquerda vencerá o ódio e extrema direita na eleição do segundo turno no dia 19 de dezembro próximo. Pesquisa aponta que o candidato do Aprovar Dignidade obteria 40,4% da preferência contra 24,5% do candidato do Partido Republicano entre o total de eleitores.

Depois do primeiro turno presidencial, no qual venceram os candidatos presidenciais do Partido Republicano, José Antonio Kast, e de Aprovar Dignidade, Gabriel Boric, a Pesquisa Pulso Cidadão divulgou o primeiro estudo destinado à votação de 19 de dezembro.

Ao perguntar ao eleitor provável (55% dos entrevistados) sobre em quem ele votaria, o ativista da Convergência Social obteria 53,9% das preferências contra 31,2% de Kast.

Os números apresentam alguma diferença quando se pergunta o total dos respondentes. Nesse cenário, Gabriel Boric voltaria a liderar com 40,4% contra 24,5% de José Antonio Kast. Chama a atenção também que 15,6% afirmaram não saber, 12,8% que não votarão e 6,9% que marcarão nulo.

Da mesma forma, o total de entrevistados que escolheram entre Kast e Boric foi questionado em quem eles votaram no primeiro turno.

No caso dos que disseram que votariam no candidato do Aprovar Dignidade, 97,2% disseram ter votado no próprio Boric, 86% em Eduardo Artés, 52,3% em Yasna Provoste, 46,1% em Marco Enríquez-Ominami, 36,8% em Franco Parisi, 15,3% de Sebastián Sichel e 3,2% de José Antonio Kast.

No caso dos que votariam em Kast nas cédulas, 90,1% também elegeram o candidato da Frente Social Cristã no primeiro turno, seguidos de 42% que votaram em Sebastián Sichel, 12,4% que votaram em Franco Parisi, 8,2% que escolheram Marco Enríquez-Ominami, 4,9% que escolheram Yasna Provoste, 0,3% que escolheram Gabriel Boric. Nenhum dos consultados que votariam em Kast disse ter votado no primeiro turno em Eduardo Artés.

Kast, de extrema direita, gosta de ser comparado com o presidente brasileiro Jair Bolsonaro. Ele é chamado de “Bolsonaro Chileno” enquanto seu adversário e líder na pesquisa Grabril Boric é comparado com “Lula” devido sua militância na esquerda a partir do movimento estudantil universitário.