Emanuela Medrades depõe na CPI da Pandemia

CPI encerra sessão por “exaustão” de Emanuela Medrades; depoimento será retomado às 9h desta quarta

Alegando exaustão física e emocional, a diretora técnica da Precisa Medicamentos, Emanuela Medrades, pediu para retomar o depoimento na CPI da Pandemia na manhã desta quarta-feira (14/7). O Blog do Esmael vai transmitir a reunião ao vivo para o Brasil e o mundo.

A sessão tinha sido retomada esta noite, após uma suspensão de 10 horas. A comissão havia parado a oitiva, hoje pela manhã, para esclarecer os limites do habeas corpus concedido à depoente. Ela tinha se recusado a responder perguntas feitas pelos senadores.

Na reabertura dos trabalhos, hoje à noite, o presidente da CPI, Omar Aziz, alertou que ela poderia ser presa por não cooperar com as investigações.

Após uma questão de ordem da senadora Eliziane Gama (Cidadania-MA), a comissão de encerrou a sessão desta terça com o compromisso dela falar amanhã cedo. “Eu estou disposta a esclarecer”, disse a depoente.

CPI ao vivo

Leia também

O comportamento da diretora irritou parlamentares, pois, segundo eles, o habeas corpus concedido pelo Supremo Tribunal Federal (STF) dava a ela o direito de silenciar-se somente sobre informações que pudessem incriminá-la e não sobre outros assuntos, sob pena de crime de desobediência. Diante da situação, o presidente Omar Aziz (MDB-AM) decidiu suspender a reunião e apresentar um embargo de declaração para que o STF defina os limites do direito ao silêncio da depoente.

O ministro Luiz Fux, presidente do Supremo Tribunal Federal, esclareceu que a depoente tem o dever de esclarecer pontos levantados pela CPI. Ou seja, o abuso do direito ao silêncio poderá redundar em prisão.

A Precisa Medicamentos é a empresa que representa a Bharat Biotech no Brasil e que teria feito intermediação nas negociações para compra da vacina Covaxin.