bolsonaro orando

Quatro fatos que indicam fim melancólico do governo Jair Bolsonaro

  • O soluço, caro leitor, é a véspera da queda

O governo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) caminha para um melancólico fim e ao menos quatro fatos apontam nessa direção.

Antes de tudo, um esclarecimento importante.

A literatura médica afirma que a melancolia se caracteriza pelo estado mórbido, abatimento mental e físico que pode ser manifestação de vários problemas psiquiátricos, também considerada como uma das fases da psicose maníaco-depressiva.

Leia também

Pois bem, vamos aos fatos.

  • Fato 1: a rigor, o presidente Jair Bolsonaro “está” inelegível para a reeleição de 2022; “nenhum” partido político sério quis filiar o mandatário e ele não confia nas agremiações do centrão, pois desconfia que pode ser rifado.
  • Fato 2: a cúpula da PGR pediu investigação sobre falas de Bolsonaro contra as urna eletrônicas. Ao menos cinco integrantes do Conselho Superior do Ministério Público Federal pediram providência a Augusto Aras, haja vista a gravida da ameaça presidencial à concretização da democracia.
  • Fato 3: os irmãos Miranda pediram ao Supremo Tribunal Federal que investigue o ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Onyx Lorenzoni, por prática dos crimes de calúnia, ameaça, denunciação caluniosa, falsa comunicação de crime e coação ilegal.
  • Fato 4: há expectativa de que a diretora da Precisa Medicamentos, Emanuela Medrades, seja presa durante a retomada de seu depoimento da CPI da Pandemia. Ela se calou diante dos senadores por orientação de seu advogado. O presidente do STF, Luiz Fux, deve ainda hoje delimitar o alcance do habeas corpus concedido a ela garantido o direito de permanecer em silêncio.

Nervoso, Bolsonaro tem crise de soluços há dez dias

Segundo especialistas, a causa da crise de soluços do presidente Jair Bolsonaro pode ter origem nervosa. Há mais de dez dias, hic, ele vem sofrendo com a contração involuntária do diafragma.

Além da possibilidade da origem gastrointestinal, a crise também pode ser estresse, ansiedade e alterações do sistema nervoso central, passando por diabetes, disfunção renal e chegando até mesmo a infarto e pneumonia.

A explicação é do gastroenterologista Bernardo Martins, do Hospital Santa Lúcia Norte, em Brasília.

Os soluços do presidente Jair Bolsonaro começaram nas manifestações de 3 de julho, o #3J, pelo impeachment.

O soluço, caro leitor, é a véspera da queda.