covaxin bolsonaro

Depoimentos na CPI da Covid podem ser hoje pior momento de Bolsonaro desde a posse

A Lei de Murphy [segunda qual ‘se algo pode dar errado, dará’] é a cartilha do governo Jair Bolsonaro. Então, não duvide que os depoimentos dos irmão Miranda na CPI da Covid, nesta sexta-feira (25/6), significarão o pior momento do mandatário desde a posse em 1º de janeiro de 2019.

A comissão de investigação receberá hoje, às 14h, o deputado federal Luís Miranda (DEM-DF) e seu irmão, Luís Ricardo Miranda, que é servidor concursado do Ministério da Saúde. Ele é o responsável pelo setor de importação da pasta, por isso sua intimidade com a compra da vacina indiana Covaxin. O Blog do Esmael vai transmitir ao vivo a sessão da CPI para o Brasil e o mundo.

CPI da Covid ao vivo

Leia também

A aquisição de 20 milhões de doses da Covaxin, com irregularidades, segundo denúncia do servidor, envolve R$ 1,6 bilhão do erário. E o pior: os irmãos Miranda tinham levado esse esquema de corrupção ao conhecimento do presidente Jair Bolsonaro, que nada fez, e o bilionário valor foi empenhado [reservado e imobilizado para a despesa].

O contrato do Ministério da Saúde é com a empresa Precisa Medicamentos, intermediária da empresa indiana Barath Biontech que desenvolve a vacina Covaxin. O sócio da Precisa, Francisco Emerson Maximiano, também será ouvido da CPI da Covid após quarentena imposta pela Anvisa em virtude de viagem à Índia.