Bolsonaro nomeia novos comandantes das Forças Armas; veja quem são eles

O presidente Jair Bolsonaro nomeou nesta quarta-feira (31/3) os três chefes da Forças Armadas. Veja quem são eles:

Exército

General Paulo Sérgio Nogueira de Oliveira

Marinha

Almirante Almir Garnier

Aeronáutica

Brigadeiro Carlos Almeida Baptista Jr.

Segundo os bastidores em Brasília, os novos comandantes das Forças Armadas foram resolvidos hoje graças a uma recomposição com os militares de alta patente. Eles ficaram descontentes com as últimas demissões realizadas por Bolsonaro.

O novo ministro do Exército, por exemplo, foi quem motivou a demissão do ministro da Defesa, Fernando Azevedo.

O presidente Bolsonaro tinha pedido para que Azevedo demitisse o general Paulo Sérgio depois de uma entrevista ao Correio Braziliense, no domingo (28/3), na qual o militar dizia que a taxa de mortalidade por covid-19 do Exército é de apenas 0,13%, enquanto na população em geral é de 2,5%.

Ainda segundo o general, na entrevista da discórdia, a força-terrestre para evitar mortes adotou campanhas maciças de distanciamento social, uso de máscaras, isolamento, testagem em massa para evitar contaminações nos quartéis e investiu pesado em logística para garantir suprimentos hospitalares e equipes médicas nos 60 hospitais da força.

O ministro da Defesa bateu o pé e disse que não demitiria o general Paulo Sérgio, então responsável pelo setor de recursos humanos do Exército.

Ou seja, os militares da ativa impuseram um nome que não era bem quisto no Palácio do Planalto nem ao presidente Bolsonaro.

O ministro do Exército, desafeto de Bolsonaro, irá comandar um efetivo de 220 mil homens do total de 380 mil nas três forças.

O novo chefe da Marinha, Garnier, também é próximo do antigo ministro da Defesa –embora seja apontado com bolsonarista moderado. E o novo encarregado da Força Aérea, Baptista Jr., é tido como bolsonarista de carteirinha.

A avaliação corrente nos bastidores é que as mudanças das últimas horas foram bastante traumáticas nas Forças Armadas.

LEIA TAMBÉM
Gleisi explica por que a oposição protocolou novo pedido de impeachment de Bolsonaro

Comunistas transam melhor? As alemãs dizem que sim

O que foi o golpe de 64? Saiba as consequências da ditadura militar no Brasil