Segunda Turma do STF começa hoje o ‘julgamento da vida’ de Moro e Dallagnol

Daqui a pouco, às 14 horas, a Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) vai iniciar o ‘julgamento da vida’ do ex-juiz Sergio Moro e do procurador Deltan Dallagnol, ex-coordenador da Lava Jato, que consiste no acesso do ex-presidente Lula às mensagens apreendidas pela Operação Spoofing.

Em concreto, o ministro Gilmar Mendes, presidente da Segunda Turma, pautou para esta tarde um agravo da Lava Jato na Reclamação Constitucional nº 43007, deferida pelo ministro Ricardo Lewandowski, que liberou os diálogos havidos entre Moro e os procuradores da falecida força-tarefa Lava Jato.

A partir dessas mensagens, a defesa de Lula tem peticionado ações no Supremo no sentido de obter a suspeição do ex-juiz Sergio Moro e da força-tarefa de Curitiba. E, consequentemente, a anulação da sentença que condenou o petista nos casos tríplex do Guarujá e sítio de Atibaia.

Também nessas conversas entre acusador (MPF) e julgador (juiz) ficaram evidentes que os dois órgãos fizeram conluio, sempre com a ajuda da mídia corporativa, para agravar a situação de acusados e tornar impossível a defesa.

Os crimes da Lava Jato não tinham limites, segundo o material da Spoofing. O procurador Dallagnol, por exemplo, chegou a dizer em um dos diálogos que a prisão do ex-presidente Lula, em abril de 2018, fora um “presente da CIA” (Agência Central de Inteligência) dos Estados Unidos.

Como se vê, caro leitor, hoje começa o ‘julgamento da vida’ de Moro e Dallagnol, que pode impactar nas eleições 2022.