Lula divulga nas redes sociais documentário sobre parcialidade de Moro; assista ao vídeo

Compartilhe agora

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) divulgou nesta sexta-feira (11) o link para o documentário sobre a suspeição do juiz Sergio Moro.

O petista quer acelerar o julgamento no Supremo Tribunal Federal (STF) do habeas corpus, impetrado por ela há dois anos, em que pede o reconhecimento da falta de imparcialidade de Moro no caso tríplex.

O documentário recomendado por Lula começa com a notícia da sua prisão mostrada pelos apresentadores do Jornal Nacional, na Globo, William Bonner e Renata Vasconcellos.

O curta-documentário foi oficialmente lançado nesta quinta (10), Dia Internacional dos Direitos Humanos, em várias plataformas nas redes sociais.

Assista a íntegra do vídeo sobre a suspeição de Moro:

Sobre o documentário

O documentário Moro: Mais que Suspeito traz com base em provas, depoimentos de juristas, trechos de entrevistas e autos do processo de suspeição, as ações que provam a parcialidade do ex-juiz Sergio Moro. O objetivo do curta-doc é conectar todas as evidências de forma que a suspeição do ex-juiz se torne ainda mais evidente e totalmente ausente de dúvidas.

O documentário corrobora a parcialidade de Moro na condução dos processos da Lava Jato que, nos últimos dias, ganhou contornos ainda mais questionáveis, como a decisão de se tornar sócio da Alvarez & Marsal, que tem entre seus clientes empresas que foram julgadas por ele na Lava Jato como a Odebrecht. A decisão foi classificada como “desastre político” até por então defensores do ex-juiz.

O curta-documentário será lançado na próxima quinta-feira, 10/12 – Dia Internacional dos Direitos Humanos – às 19h, em diversas plataformas pela Internet, tendo como principal canal o facebook do Comitê Lula Livre, do Instituto Lula, Grupo Prerrogativas, ABJD e diversas páginas parceiras. O filme foi produzido pela Campanha Lula Livre.

“Lula era objeto de desejo da Lava Jato”

As provas das irregularidades de Moro nos processos que conduziu e de sua relação política e promíscua com a necessidade de condenação de Lula vão se desvelando uma a uma nos 21 minutos de documentário que teve o roteiro elaborado a partir do Habeas Corpus assinado pelos advogados do ex-presidente Lula, Cristiano e Valeska Zanin.

O documentário é apresentado por Julianna Gerais e Tadeu di Pietro. A atriz é conhecida, entre outros trabalhos, por sua atuação na série “Todxs Nós”, da HBO. Tadeu é diretor e ator com participação em diversas novelas transmitidas em rede nacional.

A história é contada a partir de recortes de jornais da época e dos autos do processo de suspeição de Moro que está no STF. As animações gráficas ajudam a compreender melhor os acontecimentos e amarrá-los numa sequência cronológica. Os apresentadores fazem a leitura do que cada movimentação feita por Moro e pela Lava Jato, na verdade, representou na construção dos processos contra Lula e, em consequência, para a democracia brasileira.

Dia Internacional dos Direitos Humanos

O dia 10 de dezembro é o Dia Internacional dos Direitos Humanos, data que relembra o lançamento da Declaração Universal dos Direitos do Homem pela Organização das Nações Unidas (ONU) em 1948. “Todo ser humano tem o direito de ser presumido inocente até que a sua culpabilidade tenha sido provada de acordo com a lei, em julgamento público no qual lhe tenham sido asseguradas todas as garantias necessárias à sua defesa”, aponta um dos artigos da Carta.

Lula vai para Cuba virar artista de cinema, mas volta em janeiro de 2021

Moro está ‘fazendo caixa’ com informações da Lava Jato, acusa advogado de Lula

Petistas estudam levar bolo ao STF pelos dois anos sem julgamento do HC de Lula sobre Moro

Paraná Pesquisas: esquerda unida derrotaria Bolsonaro em 2022