Termina hoje o auxílio emergencial no Brasil enquanto os EUA ampliam ajuda para R$ 10,5 mil

O presidente Jair Bolsonaro bem que poderia copiar seu colega americano, Donald Trump, também nas poucas virtudes que tem. Uma delas foi aumentar de US$ 600 para US$ 2.000, equivalente a R$ 10,5 mil, o auxílio emergencial para todos os adultos dos Estados Unidos.

É com pesar que informamos o término do auxílio emergencial de R$ 300 nesta terça-feira (29) no Brasil. A Caixa paga hoje a última parcela a 3,2 milhões de trabalhadores nascidos em dezembro.

O auxílio emergencial criado em abril socorreu cerca de 77 milhões de brasileiros em situação de vulnerabilidade durante a pandemia. Os dados são do governo federal.

Com o fim do programa de ajuda brasileiro, o presidente Bolsonaro não indicou a prorrogação do benefício ou a criação de um novo auxílio para 2021, o que eleva o grau de ansiedade entre aqueles que não têm renda ou emprego.

No início da pandemia, Bolsonaro defendia auxílio emergencial de apenas R$ 200. No entanto, ele e sua equipe econômica foram derrotados pela oposição liderada pelo PT que impôs R$ 600. Depois, em setembro, o governo reduziu o benefício que se finda hoje para R$ 300.

O Blog do Esmael defende que há espaço para a universalização do auxílio emergencial de ao menos R$ 5 mil para todos os adultos brasileiros, sem distinção de renda. O país é rico, basta o governo tirar a teta que alimenta os banqueiros durante a pandemia.

Até agora, entre benefícios indiretos e diretos, os bancos levaram cerca de R$ 6 trilhões do Tesouro Nacional enquanto o todo o auxílio emergencial custou a ninharia de R$ 322 bilhões, ou seja, 19 vezes menos que o sistema financeiro garfou dos cofres públicos.