PT cobra da PGR investigação sobre sociedade de Moro com consultoria americana

O secretário-geral do PT, deputado federal Paulo Teixeira (SP), pediu nesta terça-feira (1º) à Procuradoria-Geral da República que investigue a possibilidade de crime de corrupção na contratação de Sérgio Moro pela empresa norte-americana de consultoria Alvarez & Marsal. O ex-juiz da Lava Jato, responsável pela condenação ilegal e sem provas do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, e que destruiu a economia nacional depois de desmontar o setor de construção do país, foi contratado numa manobra suspeita e milionária e vai morar nos Estados Unidos.

Teixeira diz que a lógica da própria Lava Jato justificaria a investigação, já que a consultoria Alvarez & Marsal é responsável por administrar a recuperação da Odebrecht. Na condição de ex-juiz responsável pela condução do caso, inclusive com a autorização de acordos de leniência e delações premiadas que beneficiaram a empresa, seus sócios e executivos, deveria se declarar impedido de atuar neste caso.

“Não há dúvida de que, segundo a lógica que inspirou os trabalhos da Operação Lava Jato, hoje assumidamente liderados pelo então juiz Sérgio Moro, situações dessa natureza seriam em tese caracterizadas como justa causa para investigação criminal pelo delito de corrupção, justificando-se a busca de elementos informativos sobre as vantagens ou promessa de vantagens supostamente solicitadas, recebidas ou aceitas em troca de atos praticados na condição de funcionário público”, argumenta o parlamentar, no requerimento entregue a Augusto Aras.

Em ofício ao Ministério Público Federal, o deputado pede que sejam apurados “valores e condições” tanto da contratação da Alvarez & Marsal pela Odebrecht quanto da contratação de Sérgio Moro pela consultoria norte-americana. Ele atua como sócio-diretor da empresa. Segundo o jornal O Globo, o ex-ministro da Justiça, que assumiu o cargo a convite de Jair Bolsonaro depois de prender e condenar Lula, num caso de evidente manipulação do sistema judiciário – fartamente documentado na série de reportagens da Vaza Jato – vai morar em Nova York ou Washington.

Atuação suspeita
Ex-candidato à Presidência da República pelo PT, o economista e advogado Fernando Haddad ironizou o anúncio da ida de Moro para os Estados Unidos, onde pretende fixar residência ao lado da mulher, a advogada Rosângela Moro. “Pelo que entendi, Moro decidiu receber sua parte no golpe em dinheiro”, comentou Haddad, no Twitter. Ele vê o novo status de Moro como uma espécie de retribuição por seus esforços em promover não somente o Golpe de Estado que depôs Dilma Rousseff em 2016, mas também pela liquidação de empresas como a própria Odebrecht graças à Lava-Jato.

As relações suspeitas de Moro com a companhia norte-americana é o principal alvo do pedido de investigação de Paulo Teixeira. “É urgente que se apurem as relações, as condições e os valores envolvidos nos contratos celebrados entre o Grupo Odebrecht, a consultoria norte-americana Alvarez & Marsal e, agora, o sr. Sergio Fernando Moro”, destaca Paulo Teixeira. “As decisões proferidas pelo então juiz Sérgio Moro provocaram significativos impactos políticos, sociais e econômicos ao país”, lembra. “Sua atuação foi decisiva para que fossem celebrados acordos e concedidos benefícios à Odebrecht, seus sócios e executivos. O mínimo que se espera é que os desdobramentos dessa operação sejam trazidos às claras e que haja transparência na conduta dos envolvidos”, aponta.

O deputado argumenta ainda que, na condição de juiz, Moro teve acesso a documentos da investigação contra a Odebrecht que ainda não vieram à tona e podem ser motivo de novas investigações e ser utilizados a favor da empresa. “Além disso, é evidente que, durante o exercício do cargo de juiz federal da 13ª Vara Federal de Curitiba, Moro teve amplo acesso a documentos e elementos de prova referentes ao Grupo Odebrecht, muitos dos quais ainda permanecem em sigilo e podem ensejar novas medidas investigativas, fato que poderá ser utilizado em benefício da atual administração”, aponta o parlamentar.

Da Agência PT de Notícias

Haddad: “Moro decidiu receber sua parte no golpe em dinheiro”

Sérgio Moro vai embora para os EUA, diz Globo

Moro vai embora e deixa órfão site O Antagonista