Após misterioso sumiço, ‘Véio da Havan’ reaparece em público ao lado de Bolsonaro

O empresário catarinense Luciano Hang, o Véio da Havan, reapareceu em público nesta quarta (7), em Brasília, na cerimônia de lançamento do programa Voo Simples.

Ao lado do presidente Jair Bolsonaro e do ministro da Economia, Paulo Guedes, um sorridente Véio da Havan não explicou o motivo de misterioso seu sumiço.

Uma das hipóteses para a sua submersão, por alguns meses, foi o inquérito no STF das fake news. Outra diz respeito ao julgamento da cassação da chapa Bolsonaro-Mourão, no TSE. O empresário está no rol dos investigados que disseminaram notícias falsas nas eleições de 2018.

O misterioso sumiço do Véio da Havan também tem a ver com o bloqueio de seu perfil nas redes sociais pelas empresas de aplicação da internet (Twitter, por exemplo). O correligionário de Bolsonaro teria abusado das fake news.

Outro motivo que levou ao recolhimento político do Véio da Havan seria o financiamento de extremistas contra o Congresso e o Supremo. Nas manifestações ocorridas em junho, em Brasília, por exemplo, as barracas dos fundamentalistas foram adquiridas nas Lojas da Havan –segundo investigadores.

Sobre o programa Voo Simples

O programa Voo Simples consiste em medidas para flexibilizar e revogar normas da aviação civil no país.

O presidente Jair Bolsonaro e diversos ministros participaram do evento de lançamento no Palácio do Planalto.

Ao todo, são 52 iniciativas, que incluem, por exemplo, o fim da validade para a renovação da habilitação de pilotos, o fim de autorização prévia para a construção de aeródromos, a digitalização de documentos de voos e de registro de aeronaves.

Outra mudança é a permissão para operação em águas brasileiras na região da Amazônia Legal, por meio de aeronaves anfíbias (que pousam na água), como forma de estimular os serviços de aviação na região.

Justiça manda Twitter derrubar conta do ‘Véio da Havan’ e de mais 15 bolsonaristas

Véio da Havan é condenado a pagar R$ 300 mil por postagem sobre OAB

Véio da Havan é alvo da Receita por sonegação de R$ 2,5 milhões, diz Estadão

Véio da Havan sugere comprar Olavo de Carvalho por trinta dinheiros

Moro rompe silêncio após declaração polêmica de Bolsonaro sobre a Lava Jato

Na calada da noite desta quarta (7), o ex-juiz e ex-ministro Sérgio Moro rompeu o silêncio para fazer uma solene declaração acerca da polêmica fala do presidente Jair Bolsonaro sobre o fim da Lava Jato.

Moro disse que não tem dúvidas que as tentativas de acabar com a Lava Jato representam a volta da corrupção.

Segundo o ex-juiz, o fim da força-tarefa seria o triunfo da velha política e dos esquemas que destroem o Brasil e fragilizam a economia e a democracia.

“Esse filme é conhecido”, disse Moro. “Valerá a pena se transformar em uma criatura do pântano pelo poder?”, perguntou o há pouco ministro da Justiça.

O diabo é que Moro se entregou à velha política, em 2018, quando ele se propôs a prende Lula para facilitar a vitória de Jair Bolsonaro.

Ato contínuo, o então juiz da Lava Jato deixou a toga para se transformar nessa criatura do pântano –seduzido pela ideia de poder.

Na tarde de hoje, Bolsonaro afirmou que acabou com a Lava Jato porque não tem mais corrupção no governo.

“Acabei com a Lava Jato porque não tem mais corrupção no governo”, disse o piadista dublê de presidente.

Compartilhe agora