Escritora norte-americana ganha premio Nobel de Literatura 2020

A poeta norte-americana Louise Glück foi anunciada pela Academia Sueca como a vencedora do prêmio Nobel de Literatura, de 2020. A escritora não estava entre os nomes mais cotados para receber o troféu este ano.

Glück, de 77 anos, é professora da Universidade Yale, nos Estados Unidos, e já venceu outros prêmios importantes em seu país, a exemplo do Pulitzer e a Medalha Nacional de Humanidades.

Com a vitória da poeta norte-americana, ela figura entre as 16 mulheres dos 116 escritores que já receberam o prêmio. Segundo o jornal, o Nobel de Literatura só foi concedido a uma negra, a também americana Toni Morrison, morta no ano passado. E também apenas um homem negro foi premiado, o nigeriano Wole Soyinka, em 1986.

*Com informações da Folha

LEIA TAMBÉM:

Outubro Rosa: Câmara recebe projeção de símbolo da luta contra o câncer de mama

Banco Mundial: 115 milhões serão jogados na extrema pobreza até 2021

A derrota eleitoral de Trump nos EUA também seria uma derrota eleitoral de Bolsonaro no Brasil

Trio que descobriu vírus da hepatite C ganha Prêmio Nobel de Medicina 2020

Os americanos Harvey Alter e Charles Rice e o britânico Michael Houghton são os vencedores do Prêmio Nobel de Medicina de 2020 pela descoberta do vírus da hepatite C, anunciou nesta segunda-feira o júri do Nobel em Estocolmo. Os três foram escolhidos por “sua contribuição decisiva à luta contra este tipo de hepatite, um grande problema de saúde mundial que provoca cirrose e câncer de fígado”, explicou o júri.

Os prêmios Nobel nasceram da vontade do sábio e industrial sueco Alfred Nobel (1833-1896), inventor da dinamite, de legar grande parte de sua fortuna aos que trabalham por “um mundo melhor”. Ele é lembrado como o patrono das artes, das ciências e da paz que, antes de morrer, no limiar do século XX, transformou a nitroglicerina em ouro.

Em seu testamento, assinado em Paris em 1895, um ano antes de sua morte em San Remo (Itália), ele designou os diferentes comitês que atribuem os prêmios a cada ano: a Academia Sueca para o de Literatura, o Karolinska Institutet para o de Medicina, a Real Academia Sueca de Ciências para o de Física e o de Química, e um comitê de cinco membros especialmente eleitos pelo Parlamento norueguês para o da Paz.

O prestígio internacional destas recompensas deve muito às somas generosas com as quais estão dotados: 9 milhões de coroas suecas (950.000 euros, 1,1 milhão de dólares), que são divididos entres os premiados, no caso de vários vencedores.

*Por RFI

Compartilhe agora