Donald Trump foge de debate à distância com Joe Biden

O presidente dos Estados Unidos Donald Trump se recusou a participar de um debate virtual com o ex-vice-presidente Joe Biden. O encontro seria em uma semana no dia 15 de outubro.

“Eu não vou fazer um debate virtual”, disse o candidato republicano à reeleição.

A coordenação de campanha do presidente dos EUA divulgou uma nota dizendo que realizaria um comício no lugar do debate, depois que Biden disse que não devia ser realizado um debate presencial enquanto Trump estivesse infectado.

“O presidente Trump terá publicado múltiplos testes negativos antes do debate, portanto, não há necessidade desta declaração unilateral [sobre a mudança de formato]. A segurança de todos os envolvidos pode ser facilmente alcançada sem cancelar a chance de os eleitores verem ambos os candidatos frente a frente. Vamos passar adiante desta triste desculpa para salvar Joe Biden e, em vez disso, fazer um comício”, declarou Bill Stepien, diretor da campanha.

Ou seja, Trump só quer o debate se for presencial.

A derrota eleitoral de Trump nos EUA também seria uma derrota eleitoral de Bolsonaro no Brasil

Para quem quiser conhecer como surgiu Donald Trump na política eu recomendo fortemente o filme “Trump: Um Sonho Americano”, disponível no Netflix.

O documentário chama a atenção porque Trump vive um momento de queda e a série mostra como foi a ascensão do presidente americano.

O filme não economiza adjetivo para definir o estilo de Trump na política e nos negócios: “vigarista”.

De acordo com a película independente, produzida por David Glover e Mark Raphael, não há interesse pela nação, discussão política ou ideológica. Por trás do poder de Trump só há vigarices e negócios mal explicados.

Uma mosca pousa na cabeça do vice de Trump e inseto vence o debate nos EUA

Editorial do New York Times defende voto em Biden contra Trump

Robert De Niro sugere a “dança do caixão” para o presidente Donald Trump

Jair Bolsonaro, seu colega brasileiro, surgiu como uma cópia do método do americano. Claro, uma cópia das práticas mais horrendas possíveis.

Segundo todas as pesquisas de opinião, a vigarice de Donald Trump será derrotada na eleição presidencial de 3 de outubro. O democrata Joe Biden ampliou ainda mais a dianteira para ocupar a Casa Branca e pôr fim à porralouquice do republicano.

A derrota de Donald Trump daqui a pouco mais de três semanas também representará um forte revés político para Jair Bolsonaro, que se posicionou no ringue global de forma subserviente.

O inquilino do Palácio do Planalto, a exemplo de seu amado americano, pode ter que interromper o “sonho brasileiro” devido ao isolamento político na esfera mundial e as vigarices, que são bastante parecidas.

A confirmação da derrota de Trump, nos EUA, seria uma forte inspiração para a oposição derrotar Bolsonaro na eleição de 2022.

Para o leitor entender a derrota de Trump –e imaginar a possível queda de Bolsonaro em 2022– é recomendável assistir esse filme. “Cinco estrelas”, portanto.

Compartilhe agora