Candidatos a prefeito se insurgem contra a falta de debates na televisão

O ministro Luís Roberto Barroso, presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), tem um abacaxi do tamanho de um cometa para descascar com os candidatos a prefeito nas cidades que têm emissoras de televisão.

Os postulantes ao cargo de prefeito se insurgem contra o cancelamento de debates pelas emissoras de TV durante as eleições municipais de 2020.

A primeira a dizer que não irá promover o confronto televisivo foi a Globo, seguida do SBT e da Record. Agora foi a vez da RedeTV! comunicar a desistência.

O Blog do Esmael deu a informação em primeira mão da tática eleitoral das emissoras de televisão, que são concessões públicas, de não promover os tradicionais debates.

Com exceção da Band TV, que honrou com a tradição de realizar o primeiro debate na TV brasileira, as demais emissoras prestam um desserviço à democracia nesses tempos bicudos.

Globo peita TSE ameaçando cancelar debates com candidatos a prefeito

Fake news: TSE põe a raposa para cuidar do galinheiro

SBT cancela debates do primeiro turno nas eleições 2020, diz comunicado da emissora de Silvio Santos

Globo usa pandemia para limitar candidatos nos debates das eleições 2020

Nesta quinta-feira (8), por exemplo, o candidato do PCdoB de São Paulo, Orlando Silva, protestou contra o cancelamento dos debates entre os candidatos a prefeito da maior cidade do Brasil.

Segundo o candidato da legenda vermelho, “beira a irresponsabilidade o boicote feito pelas emissoras de TV, exceção à Band, aos debates eleitorais em SP. É um desserviço à democracia que ajuda a eleger despreparados e poderosos. SP perde, BolsoMano agradece. Depois não adianta chorar em editoriais.”

A presidenta nacional do PT, deputada Gleisi Hoffmann, ainda ontem (7) pediu providências do TSE em relação a esse ataque à democracia.

“Tá aí uma situação que o TSE devia intervir a bem das eleições”, pregou a dirigente petista. “Desserviço à democracia, são concessões públicas”, afirmou Gleisi Hoffmann.

A título de comparação, as emissoras de TV brasileiras cancelam debates entre candidatos enquanto nos EUA o confronto televisivo foi intensificado nesse período especial.

Compartilhe agora