Veja essa: Mudos [isto mesmo, mudos!] discursam em convenção do PCdoB

O PCdoB do Maranhão, terra do governador Flávio Dino, faz coisa que até Marx duvida.

Na convenção municipal da legenda vermelha no município de Santo Antônio dos Lopes, o ex-prefeito Eunélio Mendonça, convocou quatro mudos para discursarem no palanque. Isto mesmo, mudos!

Eunélio e a vice Cristina Abreu querem voltar à Prefeitura.

Você não vai acreditar no que os mudos falaram à multidão de eleitores.

A convenção do PCdoB foi no último dia 15 de setembro.

Assista ao vídeo:

Petistas pressionam pela renúncia de Jilmar Tatto, em SP, em favor de Guilherme Boulos

O candidato do PT a prefeito de São Paulo, Jilmar Tatto, está sendo muito pressionado por petistas para que renuncie em favor da candidatura de Guilherme Boulos (PSOL).

Tatto obteve apenas 1% na pesquisa do Ibope, divulgada neste domingo (20), enquanto Boulos atingiu 8% das intenções de voto, ficando em terceiro lugar.

Militantes históricos do PT apelam publicamente, nas redes sociais, para que Jilmar Tatto renuncie em nome de uma suposta frente de esquerda.

Com o índice de 1% nas sondagens de opinião, o candidato do PT à Prefeitura de São Paulo sequer terá cobertura diária da TV Globo, que, mesmo ferida, continua sendo a Globo.

A emissora dos Marinho estabeleceu “cláusula de barreira” em 5% do Ibope para sua cobertura jornalística, que, a princípio, é uma restrição ilegal porque corrompe a ideia de paridade das armas na disputa eleitoral de 2020.

Boulos não é só uma aposta de setores do PT paulistano. O candidato do PSOL também é uma necessidade do prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), que tem 18%.

O prefeito tucano acredita que a vacina contra a covid-19, prevista para o mês que vem, o levará à liderança das pesquisas e, por isso, estaria escolhendo o melhor candidato para derrotar no segundo turno.

A estratégia do PSDB de São Paulo é a mesma que o prefeito do Rio, Marcelo Crivella (Republicanos), usou para vencer a disputa em 2016. Na época, o aparato de Crivella “escolheu” Marcelo Freixo (PSOL) como adversário para derrotar no segundo turno. Lá, no Rio, deu certo. Será que a fórmula funcionará em SP? A Conferir.

Compartilhe agora