Viés ideológico: Ministério de Damares prepara cartilha para ‘fortalecer’ o casamento

Em meio ao desemprego massivo e ao avanço da pandemia do coronavírus no país, o Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, conduzido pela ativista conservadora Damares Alves, prepara uma cartilha para instruir municípios a fortalecer “vínculos conjugais e intergeracionais”.

O material pode se tornar mais uma peça panfletária do discurso ideológico do governo Bolsonaro sobre a família.

Segundo a coluna Painel, da Folha, especialistas e políticos indicam o risco de que o governo reproduza um conteúdo baseado na ideologia do bolsonarismo, com ranços conservadores e visões extremistas sobre um tipo “único e ideal de família”.

O presidente do Instituto Brasileiro de Direito de Família, Rodrigo da Cunha Pereira, disse à coluna que seria melhor usar “vínculos de parentesco”, pois avalia que a expressão escolhida é “inadequada e excludente”.

“Espero que seja um programa que não discrimine e não exclua as novas representações sociais da família”, disse Pereira.

Por sua vez, ministério defende o projeto ao dizer que “muitos problemas sociais podem ser evitados com o devido protagonismo da família”.

Enquanto isso, milhões de famílias brasileiras sofrem as agruras econômicas da crise atual e ainda choram as milhares de mortes de seus entes queridos.

LEIA TAMBÉM:

Efeito Bolsonaro-Guedes: Desemprego sobe para 13,3% no trimestre

João Doria tenta se descolar de secretário preso pela Lava Jato

Renault: Justiça manda empresa readmitir os 747 trabalhadores

Desembargador que humilhou guarda municipal volta ser flagrado sem máscara na praia

O desembargador Eduardo Almeida Prado Rocha Siqueira, do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP), foi flagrado novamente andando sem máscara na praia de Santos (SP).

Siqueira foi fotografado sem o acessório de proteção nesta quarta-feira (5). A autora das imagens que não quis se identificar, relatou que o desembargador estava caminhando pela faixa de areia, com a máscara no pescoço, enquanto falava ao celular.

Em Santos, um decreto municipal obriga o uso de máscara em locais públicos para evitar a propagação do novo coronavírus. Quem for flagrado sem o equipamento de proteção pode ser multado em R$ 100. O valor dobra quando for reincidente.

No mês passado, Siqueira rasgou e jogou no chão uma multa aplicada pela guarda municipal por caminhar na faixa de areia da praia de Santos sem máscara e ainda se referiu ao oficial como “analfabeto”. O desembargador também tentou dar uma “carteirada” ao ligar para o secretário municipal de Segurança Pública, Sérgio Del Bel. O caso ganhou repercussão nacional devido a um vídeo viralizado na internet.

A conduta de Siqueira está sendo investigada pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ).

*Com informações do G1