Petrobras à venda para aumentar dividendos dos acionistas privados

A Petrobras informou o mercado sua proposta de venda da integralidade de sua participação remanescente de 37,5% no capital social da Petrobras Distribuidora S.A. (BR), por meio de uma oferta pública secundária de ações (follow-on).

O Conselho de Administração da Petrobras aprovou a alienação das ações da Petrobras Distribuidora em proposta de oferta pública de ações.

De acordo com comunicado da Petrobras, o momento de lançamento da oferta será definido posteriormente, e está sujeito, entre outros, às condições de mercado, à aprovação dos órgãos internos da Petrobras, notadamente quanto ao preço, e à análise da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) e demais órgãos reguladores e autorreguladores, nos termos da legislação aplicável.

“A presente comunicação tem propósito meramente informativo, nos termos da legislação e da regulamentação em vigor e não deve ser considerada como anúncio de oferta no Brasil, nos Estados Unidos ou em qualquer outra jurisdição”, diz a estatal de petróleo.

A Petrobras também comunica que a operação “está alinhada à otimização do portfólio e à melhoria de alocação do capital da companhia, visando a geração de valor para os seus acionistas”. Ou seja, visa apenas ao aumento dos dividendos dos acionistas privados.

Segundo essa máxima da Petrobras e do governo do presidente Jair Bolsonaro, que se exploda a soberania energética do Brasil; que se exploda os interesses estratégicos da nação; que se dane a independência do País.

LEIA TAMBÉM

  • Moro e advogado da Petrobras na mira do MP-TCU, após representação do PT
  • PT aciona MPF e TCU contra irregularidades na Petrobras
  • Maioria rejeita privatizações da CEF, BB e Petrobras, diz pesquisa
  • Ações da Petrobras têm maior queda da história com tombo dos preços do petróleo
  • PT reforça ação no STF para sustar privatizações da Petrobras