Ações da Petrobras têm maior queda da história com tombo dos preços do petróleo

Compartilhe agora

As ações da Petrobras chegaram a desabar mais de 25% nos primeiros negócios desta segunda-feira, maior queda da história dos papéis, com a perda de valor superando 81 bilhões de reais no pior momento, na esteira do tombo do petróleo no exterior, onde as cotações chegaram a cair mais de 30% nesta segunda-feira.

A forte queda na cotação da commodity ocorreu após a Arábia Saudita ter sinalizado que elevará a produção para ganhar participação no mercado. Os sauditas cortaram seus preços oficiais de venda.

LEIA TAMBÉM:
Política econômica desastrosa de Paulo Guedes é assunto no Twitter nesta segunda

Efeito Bolsonaro: Dólar vendido a R$ 4,79 nesta manhã; BC ‘torra’ reservas

Cenário sombrio na bolsa com coronavírus e queda no preço do petróleo

Por volta das 10:30, Petrobras PN caía 23,96%, a 17,36 reais, e Petrobras ON recuava 24,61%, a 18,14 reais. Na sequência, os papéis tiveram as negociações suspensas depois que a bolsa acionou o mecanismo de circuit breaker após o Ibovespa cair 10%. Os negócios serão interrompidos por 30 minutos até às 11h01.

Na mínima até o momento, Petrobras PN caiu 25,5%, a 17 reais, menor patamar intradia desde setembro de 2018, e Petrobras ON recuou 26,97%, a 17,57 reais, mínima intradia desde junho de 2018. Tal declínio representa uma perda de valor de mercado de 80,9 bilhões de reais.

Analistas do Bradesco BBI cortaram a recomendação para os papéis da Petrobras para ‘neutra’, reduzindo o preço-alvo das preferenciais para 23,50 reais ante 38 reais, para incorporar “um cenário de preço do petróleo mais pessimista em nosso modelo após a enorme decepção com a última reunião da Opep e as repercussões anunciadas pela Arábia Saudita”.

O Goldman Sachs cortou sua previsão para os preços do petróleo Brent para o segundo e terceiro trimestres de 2020 para 30 dólares o barril, “com possíveis quedas de preços para níveis de estresse operacional e custos de caixa bem próximos de 20 dólares o barril”, conforme relatório a clientes ainda no domingo.

As informações são da Agência Reuters.