Ministro Edson “Aha-Uhu” Fachin vai relatar ação de Lula contra Dalagnoll

O ministro Edson “Aha-Uhu” Fachin, do Supremo Trubuanl Federal (STF), será o relator da ação que contesta os adiamentos do Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) sobre o julgamento do procurador Deltan Dalagnoll, acusado de abuso de poder pela defesa do ex-presidente Lula (PT).

O petista acusa o CNMP de procrastinar (adiar) o julgamento do coordenador da força-tarefa Lava Jato 46 vezes, haja vista que a representação de Lula contra Dallagnol é do ano de 2016.

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirma chefe da força-tarefa da Lava Jato apresentou um PowerPoint, alegando ter indícios de que o ex-presidente seria chefe de uma organização criminosa. Na época, o procurador fazia a denúncia contra o líder petista no processo do tríplex no Guarujá, litoral de São Paulo.

Apesar da pirotecnia de Deltan, o ex-presidente acabou sendo absolvido das acusações no processo que ficou conhecido como “quadrilhão do PT”.

Pois bem, o relator do caso no STF será o ministro Edson “Aha-Uhu” Fachin. As palavras a seguir são de Deltan Dallagnol.

“Caros, conversei 45 m com o Fachin. Aha uhu o Fachin é nosso”, escreveu o procurador em mensagem em grupo no aplicativo Telegram em 13 de julho de 2015. A comemoração de Deltan Dallagnol foi vazada pelo site The Intercept Brasil e reverberado pela revista Veja, dentre outros veículos da velha mídia –além deste modesto blog.

Dito isso, o ex-presidente Lula já deve desconfiar do resultado do relatório do ministro que será analisa pela Segunda Turma da corte máxima. Ou não, como diria Caetano Veloso.

Por outro lado, depõe a favor de Fachin sua declaração na abertura do VII Congresso Brasileiro de Direito Eleitoral, promovido esta semana via internet pelo Instituto Paranaense de Direito Eleitoral (IPRADE).

Para o ministro, que também é vice-presidente do TSE, impedir a candidatura de Lula em 2018 fez mal à democracia.

“O tempo mostrou que teria feito bem à democracia brasileira se a tese que sustentei no TSE [em 2018] tivesse prosperado na Justiça Eleitoral. Fazer fortalecer no Estado democrático o império da lei igual para todos é imprescindível, especialmente para não tolher direitos políticos”, disse o magistrado na segunda-feira (17).

Mesmo pregando consenso entre as instituições democráticas, visando proteger as eleições presidenciais de 2022, é importante não esquecer que o ministro Edson “Aha-Uhu” Fachin é um lavajatista confesso.

O ministro deu 72 horas para o CNMP prestar esclarecimentos sobre a procrastinação do julgamento de Deltan.

LEIA TAMBÉM

 

Ema do Palácio Alvorada contesta Bolsonaro: é fake news a criação de empregos!

A ema do Palácio da Alvorada quer prolongar os 15 minutos de fama que ganhou depois de bicar o presidente Jair Bolsonaro no mês passado. Ela contestou o inquilino do Palácio dizendo que ele espalha fake news sobre a geração de empregos durante a pandemia do novo coronavírus.

“É fake news! É fake news! Houve mais desemprego do que empregos criados”, afirma dona ema.

Segundo a ave que habita a residência oficial da Presidência da República, Bolsonaro e Paulo Guedes são responsáveis pelo aumento do desemprego no país. Já são quase 80 milhões de desempregados no Brasil.

Os dados oficiais falam em apenas 13% de desempregados, no entanto, segundo organismos independentes, as pessoas que não encontram trabalho, os desalentados, subempregados, precarizados, uberizados, semiescravizados, enfim, 50% das pessoas economicamente ativas (PEA) que costeiam o alambrado da linha abaixo da pobreza.

Muitos trabalhadores passaram a depender do auxílio emergencial de R$ 600 para comer, beber e morar. Uma tremenda humilhação.

Dona ema ainda fez uma denúncia grave contra Bolsonaro e o sinistro Paulo Guedes. “Eles querem cortar ao meio o peru de Natal, ou seja, reduzir para R$ 300 o auxílio emergencial.

“Isso ainda vai terminar num tribunal internacional”, adverte a ema que bicou o presidente.

Acostumado com as fake news, Jair Bolsonaro torceu o nariz para ema e postou hoje à noite nas suas redes sociais:

– Em julho 2020 o CAGED apresentou um saldo positivo de 131.010 novos postos de trabalho.

– O grande destaque foi a indústria de transformação, em especial a fabricação de produtos alimentícios e a construção civil. – É o Brasil voltando à normalidade.

A velha mídia nem questionou o presidente. Coitada da ema, pobres brasileiros desempregados e cada vez mais miseráveis.